[ Joguinho viciante da semana ] The Room Two (e porra, compra o 1 também, vai por mim)

the room

Você precisa comprar The Room Two urgentemente. Aliás, como diz o título do post, compre logo o primeiro também. Apenas confie em mim; confie no fato inegável de que eu jamais recomendei algo ruim aqui no HBD.

E veja só este disclaimer: The Room nem é o tipo de jogo que eu tradicionalmente gosto.

Não me entenda mal: eu sempre gostei muito dos point and click adventure, mas meu já documentado déficit de atenção acaba me atraindo mais aos joguinhos casuais, sem comprometimento, que dá pra jogar em poucos minutinhos.

Quando vi as resenhas de The Room e The Room Two — todas universalmente positivas; de fato a ÚNICA reclamação entre os críticos é que acaba muito rápido, quando você já tá no tesão máximo pelo game –, pensei “que bosta: mais um jogo bacana que eu SEI que não vou jogar porque sou um merda que não consegue prestar atenção em nada por muito tempo“.

Além disso, tem o fato de que o mote principal do jogo — puzzles — sempre me fazem sentir o homem mais burro do mundo. Entretanto, The Room consegue ser desafiador o bastante pra se manter interessante, sem passar pro lado “preciso ser o Professor X pra descobrir o que diabo o designer tinha em mente quando bolou a solução desse quebra-cabeça, porque tá foda”.

Mas vamos começar do começo. The Room é um jogo que segue os moldes do clássico (mas que eu nunca joguei) Myst — você explora, em primeira pessoa, um ambiente misterioso repleto de artefatos estranhos. Ativando este ou aquele botão e girando esta manivela e conectando a repimboca à parafuseta, tu vai avançando na fase.

Além dos cenários lindamente renderizados e texturizados e dos sons que se encaixam perfeitamente com a “ação” do jogo (nunca imaginei que o ruído de uma gaveta abrindo ou uma fechadura girando fossem tão satisfatórios), o pano de fundo da série é um mistério deliciosamente HP Lovecraftiano de artefatos arcanos possivelmente amaldiçoados, organizações secretas tentando estabelecer contato com forças demoníacas, e mensagens deixadas por homens que falharam em elucidar os mistérios da parada.

Tou na última fase do The Room Two (que recentemente baixou pra 99 centavos na AppStore), e aí fui correndo arrependido pra AppStore finalmente comprar o The Room 1 que eu negligenciei todos esses anos, como quem descobre que a garota que ele sempre ignorou no colegial é agora modelo da Playboy.

Os dois jogos oferecem uma experiência ímpar, especialmente por esse preço. Embora não seja EXATAMENTE um jogo de terror, tem uns bons sustos aqui e ali. Minha mulher ficou alucinada pela parada e me proibiu de jogar sem ela por perto pra ir acompanhando/dando pitaco na solução dos puzzles. Melhor ainda, o jogo funfa perfeitamente com AirPlay, então jogamos em 58 polegadas e é uma maravilha.

Compre sem medo de ser feliz. Mano, eu sou tão fã do Lovecraft que bastava a descrição do jogo mencionar essa vertente da narrativa que eu comprava na hora já.

Ah, tem pra Android também, pelo mesmo preço!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

4 comments

  1. Acabei de comprar os dois. Estou jogando o primeiro e me parece realmente muito bom. Estão por R$2,60 (£ 0,69) cada na Play Store.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *