Messias, Fantasmas e Cavalos dançarinos — A maluquíssima crise política na Coréia do Sul

Pelos últimos 10 anos, o mundo ocidental esteve zoando impiedosamente a Coréia do Norte e seus líderes peculiarmente megalomaníacos. Cada notícia bizarra oriunda da Melhor Coréia nos traz um meio-sorriso; há uma estranha satisfação em reconfirmar a existência daquele bom e velho país maluco.

Chega a ser até estranhamente confortante. Uma noticia que veicula “a propósito, a Coréia do Norte ainda existe e essa semana eles aprontaram isso” nos informa que o mundo ainda está nos trilhos. O que é meio mórbido, porque as condições do povo norte-coreano deviam nos causar mais horror do que diversão.

Ah, e clica nisto aqui ->1

Entretanto, o que aconteceu recentemente com o vizinho de baixo talvez nos force a pedir desculpas, porque a Coréia mais maluca talvez não seja a dos Kims. A história que eu vou explicar aqui é TÃO bizarra, tão semelhante a trama de anime sem sentido, que se no meio do texto eu falar “…e o objetivo final era construir um robô gigante, que seria então possuído pelo espírito de um antigo guerreiro para finalmente destruir a Coréia do Norte“, você não vai achar que eu inventei essa parte.

Essa aí acima é Park Geun-hye, a primeira presidente mulher da Coréia do Sul. Eu tenho a tentação de escrever “presidenta” (que é uma palavra que sempre existiu mas que uma cambada de ignorante pensa que foi inventada pelo PT como coroa linguística para a Dilma), mas estou sem paciência pra trolar incautos hoje. O assunto aqui requer foco.

Atualmente, ela tem um nível de popularidade que oscila entre “aquele moleque que sempre tentava ‘complementar’ as explicações do professor na escola” e “primo que pulou de pirâmide em pirâmide e agora tenta te arrastar pra reuniões da Hinode”. Apenas 14% dos sul-coreanos aprovam a permanência da mulher no poder, e olha que esses caras toleram todo tipo de insanidade. Foi lá que nasceu o e-sport e o k-pop, afinal.

A putaria em que a presidente se meteu é tão sinistra que há algumas semanas tá rolando todo tipo de protesto contra a Park lá na Coréia do Sul — e que a mídia internacional não parece estar dando a devida atenção. O que, considerando a maluquice da situação, é difícil de compreender.

Falta um pato amarelo inflável gigante mas ok

O motivo desse levante popular contra Park não é muito diferente do que vimos no nosso próprio Brasil — uma perene nuvem de corrupção, ou ao menos alegações disso, paira sobre a presidenta (não consigo resistir. Mesmo com o disclaimer eu sei que ler “presidenta” provoca reação Pavloviana de revolta em alguns). O pivô da coisa toda é o seu relacionamento com Choi Soon-sil, uma amiga pessoal da presidente que teve um nível de acesso bem questionável aos bastidores do governo da presidente Park.

Choi Soon-sil, vista aqui sendo interrompida enquanto fechava um estágio no Candy Crush

Nessa hora você perde interesse na história, porque já está imaginando que não aconteceu nada muito diferente do que vemos no Brasil há 500 anos — uma intimidade indevida entre poder público e interesses privados, venda de influência/favores políticos e mal-uso do dinheiro público.

Boring. Boa sorte com o seu #ForaPark, coreanos! Pra gente isso aí é reprise, e pior, reprise recente.

O que acontece é que você não tem criatividade. Você tá tão acostumado com a corrupção standard 1.0 do Brasil que não faz a menor ideia dos níveis absurdos que o crime político pode alçar. Estamos falando aqui de corrupção que envolve líderes místicos com super-poderes espirituais e fantasmas.

Pra entender a putaria, precisamos voltar à década de 70. Na época, a Coréia do Sul era comandada pelo ditador Park Chung-hee, pai da atual presidentx Park Geun-hye. Naqueles anos, o ditador conheceu Choi Tae-min — pai da Choi Soon-sil –, que era…

Peraí, tá tudo muito complicado. Esses nomes com os quais não temos muita familiaridade tornam impossível fixar a palavra à pessoa. Pra piorar, a sintaxe dos sobrenomes na Coréia (como você já deve ter concluído, o nome da família aparece na frente do nome) me faz pensar que estou falando de um monte de xarás.

Vamos simplificar com a seguinte tabelinha:

Park Geun-hye = Presidenta (por enquanto)

Park Chung-hee = Ditador, pai da Presidenta

Choi Tae-min = Mestre dos Magos

Choi Soon-sil = Pilantrista, filha do Mestre dos Magos

Com essa tabela eu acabo me adiantando na história. Já já “Mestre dos Magos” fará mais sentido.

Então, o Mestre dos Magos era broder do Ditador e sua família. Em 1974, um simpatizante do governo norte-coreano tentou passar fogo no Ditador, mas a mira foi ruim e o cara acertou (e matou) a esposa do maluco.

Cabe aqui um imenso parêntese. De agora em diante, imensos parênteses receberão suas próprias caixinhas, assim:2

A Esmerdalhança do Assassinato de Yuk Young-soo

Essa tentativa de assassinato foi uma presepada digna de sketch dos Trapalhões, aliás. Mun Se-gwang, o atirador, foi com um três-oitão na cintura ao teatro onde o Ditador estava dando um pronunciamento no Dia da Independência coreana, intencionando mata-lo. Igual quando eu fui jogar Commandos pela primeira vez sem entender a mecânica do jogo, Mun atirou sem querer, alertando a segurança do teatro (e se ferindo ao mesmo tempo). Pensando “ah, foda-se então”, Mun saiu correndo em direção ao palanque pra meter bala no Ditador.

O cara conseguiu efetuar vários outros disparos, cada um mais na doida do que o anterior porque o momento pra sutileza e cautela já era. O Ditador escapou de todos, mas sua esposa não tinha o mesmo APM3 que o marido e tomou um balaço na cabeça.

Um dos seguranças abriu fogo contra o meliante, e o cara errou tão catastroficamente que a bala ricocheteou na parede e acertou um estudante qualquer que assistia o evento. O moleque aproveitou a deixa e morreu também.

Ou seja, o maluco foi lá matar um, acertou a si mesmo, morreram dois outros, foi preso, e a vítima em potencial ainda sobreviveu. Isso é o pior aproveitamento num atentado terrorista que eu já vi. Ele conseguiu atirar em si mesmo mais do que no alvo do atentado.

Cinco anos mais tarde, uma outra tentativa de assassinato contra o Ditador finalmente logrou êxito — provando mais uma vez a importância da perseverança.

Voltamos ao motivo pelo qual o Choi Tae-min se chama aqui nessa história de “Mestre dos Magos”. Após a morte da Primeira Dama, o Mestre dos Magos (que era líder de uma seita “cristã” chamada Yongsaeng-gyo, ou “Igreja da Vida Eterna”), começou a enviar cartas pra atual Presidenta, que na época tinha míseros 23 aninhos. Nas cartas, o cara alegava que a finada estava se comunicando com ele, e que esta queria que ele repassasse mensagens pra Presidenta.4

A Presidenta, como tantos outros trouxas em situação semelhante, engoliu a história do Mestre dos Magos e passou a ve-lo como um mentor spiritual. Ao longo dos anos, o Mestre dos Magos consolidou sua posição de arroz de festa no alto cenário politico coreano, orbitando o círculo social da filha do presidente e passando recadinhos do além pra mulher.

A parada era meio rasputinesca mesmo — e tal como na corte dos Tsares, a galera do Ditador não curtiu muito esse negócio de um curandeiro do caralho se entrosando nos círculos presidenciais, mas fazer o que?

Enquanto isso o Mestre dos Magos, que não era bobo nem nada, se aproveitou do contato com a filha do Ditador pra estabelecer várias instituições de “caridade” — lideradas, no papel, pela Presidenta. A relação com a filha do presidente dava um verniz de legitimidade à porra toda, e o Mestre dos Magos começou a usar sua influência para gentilmente “sugerir” que empresas contribuissem com suas instituições or else. O curandeiro começou a se tornar rico e influente nos altos círculos sul-cureanos, pro desconforto do gabinete.

O Ditador eventualmente se viu obrigado a chamar o Mestre dos Magos pra perguntar que porra era aquela, ao passo de que ele foi defendido ferozmente pela Presidenta. O relacionamento entre os dois era uma imensa fonte de vergonha pro gabinete presidencial, mas pelo menos o Ditador conseguia controlar um pouco a influência do curandeiro sobre sua filha. E, afinal de contas, seitas malucas são até meio comuns na Coréia do Sul.

Uma vez que o Ditador bateu as botas5, não tinha mais ninguém pra segurar o Mestre dos Magos.

Exceto o gélido abraço da Morte. O Mestre dos Magos passou dessa pra melhor em 1994, e em sua ausência, sua filha (a Pilantrista, que finalmente entra na história!) continuou o controle sobre a Presidenta. A filha do místico herdou, além da influência sobre a Presidenta, suas organizações de “caridade” — a essa altura com cofres fartos de dinheiro adquirido ilicitamente. Em 2012, quando a Presidenta finalmente tornou-se presidenta, é que a Pilantrista deitou e rolou.

A louca passou a influenciar ainda mais a líder coreana, exigindo acesso a informação sigilosa sobre a presidência pra dar seus pitacos. Pior que isso, ela pegava essa informação e repassava pro seu pequeno círculo (um círculo que incluía o namoradinho de aluguel da véia, e um popular diretor de clipes de k-pop). Aliás, hora de mais um parêntese:

O imenso telefone sem fio que é a internet

Pesquisando pra história eu vi muitos (especialmente no Twitter) se referirem a esse grupo como as “Oito Deusas”. A expressão virou um meme nas redes brasileiras, a despeito do fato de que não há simplesmente nenhuma notícia oficial reportando esse nome — a ponto de que fico em dúvida de onde o termo teria originado. Encontrei discussões no /r/conspiracy, um subreddit de usuários de chapéus de papel alumínio, onde o nome era repassado, mas não parece ter surgido lá. Os únicos locais onde vejo “Oito Deusas” sendo mencionadas são sites de conspiração mesmo.

O usuário @Omykronbr, o principal responsável por divulgar a situação coreana pra internautas brasileiros, foi um dos que aderiu/legitimizou a expressão. Ele também divulgou a idéia que as “Oito Deusas” estariam por trás do naufrágio do MV Sewol, que seria na real um sacrifício humano em honra das Deusas/pra ressuscitar o Mestre dos Magos. Não faço a menor idéia de onde ele tirou isso6, embora eu suspeite que ele tenha confundido a história de Yoo Byung-eun, o dono da empresa que operava a barca.

Em 1987, os seguidores de uma sub-seita cristã chamada Gidokgyo Bokeum Chimnyehoe7 cometeram suicídio coletivo. O timing era estranho (a líder da seita estava sendo investigada por fraude), e no final das contas descobriu-se que essa sub-seita estava repassando uma grana pro Yoo. O cara passou 4 anos no xilindró por causa disso.

Até onde posso averiguar, parece que o Omykronbr parou de ler quando viu que o Yoo tinha envolvimendo com seitas, concluiu que era a mesma da Pilantrista e seu pai, e saiu tuitando.

Então, a Presidenta começou a repassar diversos documentos governamentais pra Pilantrista. Até medidas de orçamento eram debatidas com a operadora da fantoche em formato de presidente; a Pilantrista então sussurrava no ouvido da Presidenta que seus amiguinhos deveriam receber financiamento estatal pros seus projetos malucos. Alguns de seus amigos acabaram indo pro gabinete da Presidenta, e é razoável concluir que boa parte das políticas nacionais coreanas estavam sob controle dessa turminha do barulho.

Até uns negócios meio ritualísticos/xamanísticos a Presidenta incorporou no governo. De quem terá sido a ideia…?

Lembrando que essa porra toda começou com alguém dizendo “opa, tenho um recado da sua mãe morta pra você!”.

É meio assustador quando você considera que a Coréia do Sul tem um vizinho maluco com bombas nucleares, e que as políticas de como lidar com essa porra podem ter sido modeladas com base nos achismos de uma mulher que acha que fala com espíritos.

A Pilantrista usou sua influência até mesmo pra facilitar a entrada da filha numa prestigiosa faculdade coreana, o que me faz admirar a disciplina e importância que os asiáticos dão a educação. A mulher manipula a presidente do país inteiro como o Frank Oz controlando o Yoda8, mas ainda quer que a filha tenha um canudo…

Enfim, o resultado dessa porra toda é a inevitável conclusão de que a influência da família Choi paira sobre a liderança da Coréia do Sul por décadas a essa altura. E enquanto isso foi visto por anos como apenas uma peculiaridade religiosa, pouco a pouco o país começou a se emputecer com essa relação entre a Presidenta e a Pilantrista. Matérias investigativas começaram a futucar o passado das duas, e o nível de participação que essa mulher (que não foi eleita a coisa alguma) tem na capital coreana. Com a pressão, a Pilantrista e filha sairam fora pra Alemanha.

Vale adicionar neste momento que a filha da Pilantrista é competidora de “dressage”, que é essencialmente uma dança com cavalos que por algum motivo é considerado esporte olímpico — enquanto meu Magiczinho nunca me renderá medalhas de ouro.

Óia a mina “dançando” com o Alazão aí. Mãe e filha tem uma chácara na Alemanha, onde esta última treina suas danças. Porque o que estava faltando mesmo nessa história era um estúdio alemão de dança pra cavalos.

Falei que o um megazord possuído por um antigo samurai seria MENOS estranho, não falei?

Na pressa, a véia deixou pra trás um tablet com cópias de discursos, documentos financeiros, agenda presidencial, inúmeros documentos governamentais que ela não tem autorização legal pra acessar, e o pior: a constatação de que ela é o tipo de tia velha que tira selfies com um tablet.

Aí a putaria explodiu de vez. A véia ainda tentou mandar um “rapaz, nunca vi esse tablet na vida!”, mas a galeria repleta de selfies a desmentiu imediatamente. A galera lá naquelas bandas já não ia muito com a cara da Presidenta, e agora tendo achado esse tablet confirmou-se a suspeita de que a líder da nação era senão uma marionete nas mãos de uma líder “espiritual” e de seu questionável grupinho secreto de Illuminati coreanos.

Tentando apaziguar os ânimos da galera, a Presidenta botou pra fora inúmeros membros do seu gabinete que teriam sido instalados lá por influência da Pilantrista, mas agora é tarde. Demorei tanto pra escrever esse post, aliás, que quando publica-lo é possível que a Presidenta já tenha virado Detenta.

Você imagina agora o sorriso do Kim Jong Un nesse momento. Com os sul-coreanos tendo recebido apoio americano no final do conflito entre as duas Coréias nos anos 50, a narrativa estatal é que a do Sul é um fantoche de interesses oligárquios ianques; que os coreanos “do bem mesmo” são os do Norte. A tal conspiração não envolve os EUA — até onde se sabe, ao menos –, mas já dá pro gasto.

O Brasil é uma putaria sem fim, mas ao menos não temos esse histórico de líderes se envolvendo…

…com líderes religi…

…osos sincretistas que alegam poder se comunicar com espir…

Talvez não somos tão diferentes assim.9 10

Esse tipo de texto dá um TRABALHÃO, e como não tenho nenhum tipo de publicidade aqui no HBD, o único retorno que tenho é o feedback de vocês. Tire dois segundos do seu dia pra participar: comente e/ou compartilhe o texto:D

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

72 comments

  1. Presidenta, eventuais erros de português e até as piadas de nicho eu aguento mas “presidentx” é ir longe demais.

    Brincadeiras à parte, o dossiê ficou muito daora, provavelmente eu nunca ficaria sabendo disso por outros meios a menos que explodisse no twitter, a adição das notas é muito legal e sua identidade como escritor continua firme e forte nos textos.

    Conheci o site uns anos atrás lendo o texto que você quase se mata arrumando a cama e apesar de não ser o leitor mais ávido sempre dou uma olhada por aqui 😀

  2. Cara, finalmente entendi essa porra!
    É tanta história nos reddit, gente falando tanta coisa absurda que já estava pensando que era alguma lenda da web, ou uma pegadinha do Cid…
    Enfim, muito legal o texto. Obg por trazer uma luz sobre a situação tosca da Coreia…
    Ah… E depois dizem que corrupção é coisa só de país subdesenvolvido, ou coisa de “esquerdopatas”, ou coisa de comunistas… Extremistas ceguetas, lamentável.

  3. A Coréia do Sul então é tipo um episódio de “What if…” onde o Chico Xavier decidiu que quer ser dono da porra toda. Doido pra caralho.

  4. Muito bom texto izzy, só que no final (acredito que seja só uma brincadeira mesmo, sem cunho critico) vc descontextualizou bastante a foto dos presidentes ao comparar a relação de dominância que acontece na Coreia do Sul com uma simples ação de marketing da campanha desses presidentes brasileiros

  5. Oi Izzy tudo bem? Muito bacana o artigo!

    Falando em coreanos, tem vídeo que tá circulando na internet sobre a possibilidade da polícia canadense ter cometido excesso ao prender casal de velhinhos coreanos. O que realmente aconteceu, a mídia não explica o contexto do que realmente houve

    https://www.thestar.com/news/canada/2016/10/29/police-to-probe-rcmp-arrest-of-elderly-bc-couple-caught-on-video.html

    https://www.youtube.com/watch?v=SkSJzkqOGHs

  6. Ah, e quanto a políticos envolvidos com seitas religiosas, não custa lembrar dos repasses da Prefeitura do Rio para a Fundação Cacique Cobra Coral, que prestava o infame serviço de realizar uma Dança da Chuva às avessas em dias de eventos importantes na cidade.

  7. QUE ALEGRIA VER O HBD RESSURGIR DAS CINZAS, ATÉ TOMO EMPRESTADO A ALCUNHA DESTE SAUDOSO MEMBRO PARA FAZER UMA SAUDAÇÃO:

    KID VIADO VAI MORRER DE TANTO K-POP NO CU

  8. Cara, que história mais maluca.
    Gostei do estilo do texto, cheio de parenteses, sempre que escrevo emails tenho problemas com parentes.

  9. Izzy, eu moro na China, e eu e muitos chineses têm uma visão bem otimista quanto a Coréia do Sul, afinal os caras saíram do subdesenvolvimento depois da Guerra da Coréia e hoje é o país com maior IDH do leste asiático. Daí comecei a ler teu texto sobre a presidente, eu sinceramente não acreditei que poderia ser real uma porra dessas com um presidente de num país como a Coréia. Eu tive que sair procurando fontes pra confirmar a história e é tudo verdade vei. Me decepcionou com a Coréia, achei que só no BR tinha esse tipo de loucura. Porra Izzy, você me deixou muito triste, acho que vou visitar outro país nas férias.

  10. Izzy, só queria deixar aqui que gosto pra caralho do seus textos, vejo os vlogs de vez enquando mas prefiro mil vezes o site, não abandone isso aqui por favor!

  11. Ai que saudade eu estava dos seus textos. Fazia tempo que nao vinha no hbd. So no youtube… vou corrigir isso. Otimo texto, kid! Que historia mais louca!

  12. Ashash, mano, eu conheço uma mina da Coréia que tem o sobrenome Choi,agora eu estou em dúvida se devo zoar ela ou se devo consolá-la, pois ela deve estar sofrendo um bullying desgraçado por causa do sobrenome.

  13. Mano,
    Bem que vc me disse la no twitter que esse post ia dar ainda mais um ar de wait but why. Foca nessa parada, melhor tipo de post ever. Ah, e nao pare de desmascarar as pseudo empreendedoras. Esse tipo de texto (e os videos nessa pegada) tem muito mais a sua cara do que assuntos aleatorios do momento.

  14. Alguns troll baits evidentes. Como: é la que criaram coisas bizarras como o k-pop e o e-sport (lolzeiros podem ficar ofendidos aqui) hehehehe.

    Eu nao entendi a do APM. alguem explica ai!

    Excelente texto.

    Abraço

  15. Gostei bastante do post, acharia bem legal se continuasse nessa pegada que se diferencia do que a grande mídia divulga para nós, brazucas. Grande abraço!

  16. HBDia is now IzzyButWhy.

    Aliás, também sóu super fã do cara.
    Pena que não rolou ‘Wait But Hi’ por aqui.

    Você se candidatou / foi ao encontro em Calgary?

    Continua que tá foda.

  17. Não é o primeiro caso assim. É só lembrar de Rasputin na Rússia dos czares e de José López Rega, apelidado de “El Brujo”, na Argentina da época da Isabelita Perón. Fora as prováveis dezenas de casos na África e nas repúblicas de bananas latino-americanas. A Coreia do Sul foi do nível de desenvolvimento do Paraguai para o do Japão em poucas décadas (eu mesmo estou lendo isto e escrevendo num monitor LG, por exemplo). Foi um salto impressionante, quase um milagre, mas é muito pouco tempo para um país amadurecer suas instituições.

  18. Caralho, que história. Serve um pouco pra essa galera que pensa que só aqui é ruim, só aqui tem corrupção e etc.
    Só uma observação: meio sacanagem essa foto da Dilma no final, ela e FHC reconhecidamente não tinham envolvimento algum com religião, exceto encontro protocolares do cargo.

  19. Valeu, Izzy, vi essa putaria ontem no Twitter e não achei quase nada em noticiários por aqui. Bem vindo de volta ao blog kkkkkk continue escrevendo.

  20. KId,
    adoro ler esse tipo de coisa aqui no HBDia pq sei que vc faz alguma pesquisa antes de escrever. É mais do que muito jornalista ‘sério’, às vezes (vide o caso Bel Pesce e algumas brincadeiras particularmente bem-sucedidas do Sid).
    Confio no que vc posta, e adoro seu estilo. Vejo pouco seus vídoes (embora alguns sejam muito bons), e quase nunca o podcast, mas há mts anos que conheço esse site e de tempos em tempos passo aqui para ver oq há de novo.
    Por favor, continue escrevendo! Vc sabe fazer isso mt bem

  21. Que infeliz esse final do seu texto, Izzy. Você tá no seu direito de não acreditar na fé do outros, porém não entendo o ataque direcionado ao candomblé. Temos um monte de pastores evangélicos que fazem exorcismos, shows pirotécnicos, dízimo no cartão (para deus nao te mandar pro inferno) e o caralho a quatro e que estao em posse de cargos públicos. A bancada evangélica ta aí, assumindo maior espaço na política, mas um político tirar foto com representantes da cultura afro-brasileira é o que cai no olhar crítico? Não seria tão elucidativo quanto essas fotos colocar simplesmente a foto do Marcelo Crivela, prefeito eleito do Rio de Janeiro e bispo da “igreja” universal? Não é lá a tarefa mais árdua encontrar foto de líder religioso na política brasileira (infelizmente), porém as mãe de santa merecem mais a sua atenção, não é mesmo?
    E antes que venham que acusar de “petista” ou seja o que for, há uma foto circulando bem famoso do mesmo (Crivella com o Lula e a Dilma).
    Eu acho que de seus posts pode-se inferir sim preconceito as culturas afrodescendentes brasileiras e por isso, não acompanho mais seu trabalho, apesar de que acho parte dele informativo. Sugiro que tomes mais atenção para esse tipo de coisa.

    1. Aponte por favor qual ataque eu fiz ao candomblé. Não estou localizando esta parte no meu texto.

      Deu uma relida aqui e a única coisa que eu achei uma parte em que traço um paralelo entre políticos brasileiros também terem históricos de se envolver com figuras religiosas que alegam falar com espíritos, que é uma similaridade curiosa. Não fiz nenhum julgamento de valor das suas crenças, da cultura, do que estão vestido, suas músicas, suas tradições, literalmente nada.

      Acho engraçado que você leu o texto todo curtindo eu zoar a religião sincretista dos coreanos, mas foi só MENCIONAR (não zoei, não ridicularizei, só citei) candomblé e você sai todo ofendidinho.

      “…cultura afro-brasileira é o que cai no olhar crítico”

      Caso você seja novato aqui, eu passei a minha “carreira” inteira criticando cristãos evangélicos e seus dogmas.

    2. Snowflake detected! Henrique para de viadagem mano, para com essa parada de “estou ofendido”.

      Izzy puta texto e curti o estilo parecido com wait but why, que alias conheci por sua indicacao.

  22. Porra Izzo, fantastico o texto.. Voce deveria fazer mais textos ( po voce tem varios fans da velha guarda como eu que curtem muito mais historias de japas de lantejoulas do que vlogs hahaha)
    Abs!

  23. Gostei das notas de rodapé, mas no Feedly elas mais atrapalham que ajudam na leitura, se bem que depois da morte do Google Reader acho que pouca gente usa RSS.

  24. Carai, que saudade dos Dossies do HBD, parabéns Kid por ta voltando com esse tipo de conteúdo aqui no site! Quanto ao texto em si, não sei nem o que dizer huahuahua. Esses coreanos mano…. superaram os BR. Cê devia depois atualizar o post com o desenrolar da história, se a mulé for deposta, se rolar algum tipo de treta e tal.

  25. Parei no meio.

    Dai começou um sonzinho da banda aquela Nemly E Nemlerey. Em seguida veio um incentivo teu tentando explicar a parada, mas só me segurou mais uns parágrafos.

    Mas então, bacana a situação da Coreia.

  26. Que tesão que dar ler um texto grandão de novo aqui no HBD, tava batendo saudade já. Continua com eles, ler esses artigos bem escritos e engraçados é o melhor hobby 😮 <3

  27. Segunda vez em tão pouco tempo que me informo melhor pelo HBDia que pela imprensa regular… Imagina se tu fosse jornalista profissional, Kid?!?

    PS @ Foto de candomblé: e não é que teve gente se doendo?!?
    PS @ novos recursos do blog: agora só falta colocar também botãozinho de spoiler (cheguei a colocar no meu antigo blog, e até que não é difícil fazer)! :v

  28. izzy, sério cara poderia ter rolado uma guerra ou uma crise que fazia parecer que o brasil é um país bilionário por causa desse meio gandalf meio dumbledore meio maluco da esquina metido a vidente e ainda teve uma filha diabólica que nem o pai he he esse mestre dos magos devia saber até o que a presidenta pensava antes de dormir numa noite de terça e ainda foi corrompida por ele esse cara e a seita dele e meio uma imitação descarada de 1,99 e fracassada cópia completamente horrível dos illuminatis que acho que davam vergonha a eles e kkkkk ótimo site izzy te acompanho e sou seu fã a tempos sério muito tempo mais NUNCA comentei e essa bagunça que ta acontecendo na coréia so posso dizer algo COISA DE DOIDO.

  29. Se o uso deles não fosse de IP dos japoneses, não duvido que a Pior Coréia (a ser renomeada em breve, suponho) já teria histórias cabulosas envolvendo tentáculos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *