Netflix trai a confiança de todos nós fazendo filme do Adam Sandler

Você imaginaria que pelo menos a empresa que ganha dinheiro com os abortos cinematográficos do Adam Sandler gosta do cara, mas uma das muitas coisas que descobrimos com aquele hack da Sony no ano passado é que nem eles entendem o apelo do “comediante”. Veja bem: os caras ganham dinheiro diretamente com o sujeito, e nem eles conseguem dar um bom motivo pra continuarem contratando o ator.

Isso é como você ter um amigo que te convida semanalmente pra orgias com coelhinhas da Playboy, e ainda assim você sinceramente não consegue entender por que é amigo do cara. Ou seja — imagine o tipo de personalidade pútrida que o sujeito deve ter.

Pois bem, contrariando qualquer lógica e provando que não existe um deus neste universo, o Netflix resolveu fazer um filme com o Adam Sandler. Aí está a merda:

Enquanto você assiste esta bosta, lembre-se que há pelo menos uns 15 anos o Sandler não faz um bom filme, mas que a despeito disso ele ganhará 15 milhões de dólares por essa porcaria. E não apenas isso, mas há outros 3 filmes agendados com o serviço de streaming, ou seja — O Adam Sandler, que se ganhasse 100 reais pra fazer stand up já estaria sendo bem pago, é agora 60 milhões de dólares mais rico que você.

E eu já sei que você você vai falar: tu fez a conta dos tais 15 anos, viu que Click saiu mais recentemente que isso, e dirá “mas Izzy, e Click? Click é um filme bom!” Isso serve apenas pra mostrar o quão pouco esperamos do Sandler após sua saída do SNL (nem naquela época ele era particularmente engraçado, diga-se de passagem): Click é um filme medíocre com 6.4 no IMDb e 32% no Rotten Tomatoes, mas comparado à filmografia do Adam Sandler, Click é como se O Poderoso Chefão e Um Sonho de Liberdade tivessem um filho juntos, dirigido pelo Paul Tomas Anderson.

Click é como encontrar uma moeda de 50 centavos no meio de um tolete — sim, está coberto de bosta, e mesmo que não estivesse é de pouco valor, mas considerando o contexo em que ele está inserido, é até memorável.

Se há alguma vantagem nessa parceria do Sandler com o Netflix é que ao menos nós não estaremos dando o NOSSO dinheiro pra ele, ao menos não diretamente. Há uma certa ironia no fato de que os próximos filmes do Sandler não venderão um ingresso sequer, sendo pagos inteiramente pelos mesmos executivos que deram luz a filmografia do ator.

É como se os caras que trouxeram a carreira do sujeito à vida estão finalmente pagando o preço pelo que criaram.

Uma pensão alimentícia cinematográfica. Menos mal.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

15 comments

  1. qual o problema , você sera obrigado a assistir o filme? assiste quem quiser e pronto ele tem muitos fãs prova disso e que a pagina dele tem mais de 50 milhões de curtidas e os ultimos filmes dele foram bem nas bilheterias como pixel que arrecadou 250 milhões no mundo ou seja ele tem muitos fãs e os fãs vão gostar de assistir o filme, ele e odiado por criticos de cinema(o que pra mim não e um profissão) e isso virou modinha bobeira, o ultimo filme que ele fez no netflix vendeu bem e por isso que fazem mais até porque se não vendesse ninguém faria , e já pensou se começasse esse mimimi de ”mimimi eu não gosto desse ator vou boicotar o netflix” quer coisa mais patetico? texto completamente desnecessario com excesso de mediocridade o seu esse papo de ”nosso dinheiro sendo gasto pra fazer esse filme” zzzzzzzzzzzz kkkkkkkkk ta parecendo gente que reclama do governo, se vc fosse obrigado a assistir esse filme tudo bem a sua reclamação mas tem muita gente que vai assistir muita gente vai gostar muita gente vai não gostar e e vida que segue não devemos criar textões por coisas tão futeis

  2. Eu talvez crie ânimo pra checar esse fato depois, mas eu suponho que os filmes dele tenham notas boas no Netflix.

    O que, aliás, só ressalva a importância de deixar sua opinião no serviço. Senão eles jogam dinheiro nisso, ao invés de produzir mais Daredevil e Orange is the New Black 😛

    1. vc acabou de me fazer enxergar aquele ferramenta de estrelinhas do Netflix que nunca dei muita bola, como a ARMA para me garantir bom conteúdo no futuro! parabéns, vc é um bom argumentista!

  3. Na verdade nem dinheiro a Sony estava fazendo com ele nos últimos anos. Ele fez filmes HORRÍVEIS como ‘Jack and Jill’ e ‘That’s My Boy’ que floparam feio na bilheteria. Mas, é foda ver como alguns filmes idiotas dele faziam dinheiro anos atras.

  4. Engraçado você e o Papo de Homem terem feitos textos com o mesmo assunto no mesmo dia. A vantagem daqui é a galhofa, já que a área de lá está repleta de pseudo intelectuais. Enfim…

    Ninguém consegue entender o fenômeno Adam Sandler. Como um cara desses consegue ficar em liberdade ou não perder todo o dinheiro em processos tendo feito tantos filmes xenofobos? Deu até treta com os indígenas na gravação desde filme da Netflix.

    Pior que eu até gosto de alguns filmes dele, como o Rei da Água e o Paizão, ou até Tá Rindo do Quê?, que mandou bem num papel dramático, apesar desse ser um dos filmes mais fracos de Appatow. Enfim, os filmes dele sempre trazem um fiapo de esperança para que seja uma boa comédia como ele fazia até os anos 2000.

    Quanto ao faturamento, os filmes sempre vão muito bem no mercado de home video, então imagina-se que a escolha da Netflix de produzir filmes dele venha desse fato.

  5. O fenômeno Adam Sandler é facilmente explicável: são as tais “comédia família”, com um nível de humor típico das “dad jokes” (algo como “tiozão do pavê” no Brasil).
    Os filmes do Adam Sandler fazem dinheiro porque muitos pais preferem levar os filhos numa comédia de piadas questionáveis mas adequadas do que num filme de super heróis com temas sérios ou algum award-candidate por aí.
    É fato que os níveis da comédia do Adam Sandler caíram vertiginosamente em conjunto com a formação da própria família. Vejam aquele “Blended”, que não passa de uma mera desculpa para ele viajar para a África (provavelmente com a família). Ele quer fazer conteúdo que seja compatível para algo que ele assistiria com os filhos e, quando não o faz, faz filmes ruins porque perdeu aquela mão de Um Maluco no Golfe.

    1. Tu fala de brincadeira mas ele já disse EXPLICITAMENTE que escolhe os roteiros se baseando em “qual desses filmes acontece num local bacana pra eu ir passar férias lá com a família”.

  6. Todo mundo falou merda de Pixels…

    Resolvi assistir e gostei. Não é nenhum clássico shakespeariano, mas foi um filme que me deixou interessado do inicio ao fim.

    O ritmo do filme é muito bom, sempre acontecendo alguma coisa, o pessoal sempre em movimento. E quando os aliens começam a atacar, o filme é basicamente ação até o final, com várias cenas muito interessantes de se ver.

    Dá pra contar nos dedos de uma mão os filmes que conseguiram prender minha atenção esse ano.

    Dar bola pra opinião dos outros na Internet é a pior coisa que alguem pode fazer. Na internet só tem retardado mental que segue a modinha da vez.

  7. Bom, assumindo minha opinião de merda, eu gosto dos filmes do Adam Sandler. Não todos, obviamente, mas gosto da grande maioria deles.
    Fui assistir no cinema com a minha namorada e ambos rimos e nos divertimos com as cenas nonsense de Juntos e Misturados, Pixels, Gente Grande 1 e 2. E em nenhum desses éramos apenas nós 2 idiotas rindo sozinhos. Todos nas salas de todos esses filmes estavam se divertindo também. Aliás, sempre que passa algum dos outros filmes na TV eu paro pra assistir.
    Enfim, taí, to dizendo pra internet que sou fã do Adam Sandler e não tenho vergonha de admitir. Se sair filme do cara no cinema, provavelmente vou ver numa quarta de promoção. Se sair no Netflix, vou assitir de boa em casa.

  8. O que me impressiona no texto é o fato dele ter sido escrito antes do lançamento do filme, pré-julgamento meio foda… mas beleza.

    Eu assisti o filme, é horrível. Detesto o Sandler. Jack & Jill coloco num dos piores filmes que já vi na minha vida. Mas tipo, o cara faz dinheiro. Por que diabos a Netflix tá traindo nossa confiança apostando numa coisa que, vai ser absurdamente rentável? Como se provou semanas depois do lançamento, sendo um dos mais assistidos na Netflix. Eles não tem a obrigação de nos entregar conteúdos nível House of Cards e Orange is the New Black com todo conteúdo original, tem a obrigação de nos entregar conteúdos que irão satisfazer o público, seja ele de todos os gêneros. Assim como tem a galera que ama Teen Wolf e eu acho uma merda.

    Públicos distintos, há uma alta demanda pelo Sandler. Aposto que muito mais aqui no Brasil do que nos EUA, tanto é que trouxeram o elenco pra CCXP. Os filmes deles explodem aqui, e seria até uma sacada genial da Netflix se um dos filmes dele se passasse no Brasil.

    Netflix trairá nossa confiança quando apresentar um conteúdo ruim, e sem sucesso. Mas quando há sucesso, creio que o julgamento fica anulado. Tipo Transformers… faz bilhão todo o filme, por que reclamamos? A gente que não curte mesmo.

    E, se amamos tanto a Netflix assim, devemos pensar dessa maneira: o filme do Sandler trará milhões para ela. E esses milhões serão investidos em conteúdos originais não só para filmes do Sandler.

    Então, vocês tão reclamando do que mesmo? rs
    Netflix fazendo sucesso, trazendo mais público e só há choro por isso… não dar pra entender.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *