O Uwe Boll, diretor alemão que arruinou tantos filmes de games, enlouqueceu de vez

uwe

Ele tá parecendo um primo mais velho e fracassado do Matt Damon nessa foto.

Se você se interessa por games at all deve saber que os filmes baseados nos joguinhos tem a infâmia de serem excepcionalmente péssimos. E embora o sujeito acima não seja o único culpado por isso, seu horrível trabalho se destaca num mar de mediocridade. Imagina que numa corrida de pessoas com uma perna e mal de Parkinson, tu consegue a proeza de chegar em último. Assim você compreenderá o quanto este sujeito falha no que é supostamente uma atividade que ele exerce em capacidade profissional.

Este é Uwe Boll (se pronuncia mais ou menos como “Uva Bôl”, aliás), um diretor alemão que na última década se “especializou”, por assim dizer, em fazer filmes baseados em franquias de videogames. E por “fazer” o que eu quero dizer realmente é “estragar”.

Ok, a gente sabe que o material fonte dos games não costuma render adaptações dignas de Oscar, mas se liga nos filmes dele que receberam melhores notas no Rotten Tomatoes:

Eu consigo dizer com surpreendente nível de confiança que ATÉ EU conseguia dirigir algo melhor que os filmes do cara

Os filmes dele são de relativo baixo orçamento, e ainda assim eles conseguem ser fracassos retumbantes de arrecadação. Bloodrayne, por exemplo (a gente realmente precisava de um filme de Bloodrayne? Puta que pariu, não rende nem um 2-Pack no 99Vidas essa merda…) rendeu menos de 4 milhões de dólares tendo custado 25 milhões pra filmar.

Pior ainda foi o In the Name of the King, que inexplicavelmente tem o Jason Statham no elenco. Ou o ator fechou o ano fiscal no vermelho, precisava balancear o orçamento urgente e assinou contrato pra aparecer no filme sem nem ler, ou Uwe Boll descobriu algum segredo sórdido do ator e pressionou-o a aparecer nessa bosta. O filme custou 60 milhões e lucrou… 10 milhões. Só não conseguiu ser pior que o trashcônico (o portmanteau de trash com icônico que inventei agora)  Zyzzyx Road, que custou 1.2 milhão pra filmar e rendeu 30. Não 30 mil, 30 dólares mesmo.

Você talvez se pergunte por que infernos alguém continua dando dinheiro para este mentecapto. Acontece que Boll se beneficia de uma Lei do Áudiovisual alemã que devolve ao cineasta quase 50% do valor investido num filme. Não basta fazer filmes bosta, tem que fazer com que os outros paguem por eles também.

Uwe Boll é celebrado (ao contrário) na internet como um mestre da tosqueira há muitos anos; acompanho suas peripécias desde os idos de 2006. Na época, enquanto filmava Postal, o cara convidou vários de seus críticos (cinco blogueiros peso bolha de sabão) para uma luta de boxe.

De acordo com Lowtax (o criador do Something Awful e um dos “competidores”), o acordo é que a luta seria “de mentirinha, só pra promover o filme mesmo”. Chegando lá o cara foi sovado violentamente:

O que não era bem compreendido na época é que o diretor lutou boxe semi-profissionalmente por vários anos, e existiam até teorias de que ele era meio lelé da cuca justamente por tomar tanta porrada na cara porque sinceramente ele deve lutar tão bem quanto dirige filmes. Existe até um nome pra isso: demência pugilística.

A propósito, um dos críticos que entrariam no ring com o Boll era o Seanbaby. O problema é que o Seanbaby revelou que pratica Brazilian Jiu Jitsu a anos, e que estava super afim de moer a cara do diretor — que então cancelou sua participação na parada.

Esse vídeo foi transmitido ao vivo, aliás — foi talvez o primeiro streaming de internet que eu assisti. O Lowtax saiu totalmente humilhado, e deu uma entrevista bem vergonha alheia depois da luta. Como falei, não acho que o Uwe Boll seja capaz de ser competente em nada, ele só se deu bem nas lutas porque os adversários eram blogueiros franzinos cuja maior atividade física é se masturbar com a mão esquerda pra dar um barato mais louco.

Um dos caras levou tantos headshots que saiu do evento vomitando no meio da rua e tudo.

TENSO

POIS BEM. O que o Uwe Boll aprontou agora?

É o seguinte. Para financiar seu filme Rampage 3 — No Mercy, o polêmico diretor foi ao crowdfunding. Só que, ao contrário do governo alemão, a internet não estava afim de dar seu suado dinheiro a este idiota, e então a campanha (previsivelmente) falhou com notável nível de miserabilidade.

O diretor então resolveu aproveitar a oportunidade para fazer um momento de auto-críticHAHAHAHA porra nenhuma, ele filmou um chilique e pôs no YouTube:

O sotaque alemão dele a la Klaus do American Dad é a cereja no topo dessa merda. O cara basicamente mandou os fãs se foderem por iludirem-no com a idéia de que financiariam seu novo filme. E deu adeus a Hollywood.

Ele postou um segundo vídeo, mais longo, e mais revoltado com toda a indústria cinematográfica. No final ele insinua ainda, bolivaristicamente, que deveríamos “matar os ricos”.

Vai tarde, Uwe Boll.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

27 comments

  1. Quando você diz “O filme custou 60 milhões e lucrou… 10 milhões” significa que o faturamento total foi de 70 milhões e os caras realmente lucraram 10 milhões ou que que o faturamento foi de 10 milhões mesmo e, portanto, tiveram prejuízo, não lucro, de 50 milhões?

        1. Faturamento ou receita é sem custos e lucro é com os custos.
          Errado seria dizer que LUCROU 10 milhões.
          Ele faturou ou obteve receita de 10 milhões.
          Seu custo foi de 50 milhões.
          Desse jeito, seu lucro (ou prejuízo) foi de -40 milhões.

  2. E tanta gente querendo ter uma oportunidade de dirigir algum filminho e esse cara conseguiu foder um monte.

    Isso é pra tudo na vida, enquanto muitos lutam pra ter algo, outros tem e cagam na porra toda.

  3. HAHAHAHAHAHAHA.
    O Daniel Fraga diria alguns parágrafos de agressão, sujeito pacífico, estado babá, e o escambal em relação a tal lei alemã de incentivo.

    Esse Uva Bôl é tosco ad eternum.

  4. Com esse xilique dele no IúTóba, prevejo que ele vai finalmente LUCRAR de fato com um filme que dirigiu (e roteirizou/filmou/blablablá)…

    BORA TODO MUNDO QUE FOR ASSISTIR ÇAPOHHA ATIVAR ADBLOCK ANTES!!! };v

  5. Só acredito quando ele prometer e assinar um termo dizendo que não vai fazer mais nenhum filme, do contrário daqui a pouco esse porra vai estar voltando com mais uma idéia bosta de um filme merda.

    1. Também acho o primeiro Rampage muito bom. Ainda não assisti o segundo. Mas o cara tem uma fama tão ruim que nem a continuação do único filme bom (e autoral, por sinal) vai ser produzida. Uwe Boll para o cinema é tipo aquele cara que mente pra caralho e quando diz a verdade, ninguém acredita.

      COLOCA DISQUS NO SITE, IZZY!!!!!!!!!!!!

  6. Que cara maluco! Deve mesmo sofrer de demência pugilística. Pior que ele deu esse adeus raivosinho mas algo me diz que ainda veremos esse sujeito aparecendo novamente…

    1. E quando, na História da Internet, alguém deu adeus e realmente foi embora?

      Se já não tiver uma longa resposta dele em cada comentário desse vídeo, ficarei surpreso. 😛

  7. Aquele momento que você descobre que aquele filme péssimo chamado “Alone in the Dark” que você assistiu há mais de 10 anos é desse mesmo diretor. Valeu, Izzy o/.

  8. Caralho viado, eu não sou o tipo de pessoa babaca que fica falando na Internet que poderia fazer melhor. Mas sinceramente, me dá três coxinhas e uma tubaína pra alimentar os autores, uma tech pix só pra eu destruir mesmo pq meu celular filma melhor, dois dias pra eu editar tudo no movie maker e uma boina, por que sim, que eu faço um filme dez vezes melhor que qualquer um dele.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *