[ Pergunta do Dia ] Que música você sabe que jamais ouvirá de novo?

albundy

No episódio Oldies But Young ‘Uns da icônica Married with Children, o protagonista Al Bundy é atormentado com um fragmento de uma melodia que ouviu no rádio e não conseguia identificar. Eis um compilado das cenas em que ele tenta usar seus amigos e familiares como uma versão analógica do Shazam, e falhando miseravelmente. Aliás, vocês ainda usam o Shazam pra isso? Eu migrei pro Soundhound.

(Eu era ao mesmo tempo atormentado pelo demônio da puberdade, provocado pela Christina Applegate em seu papel mais famoso.)

Hoje em dia, essa frenética e desesperadora busca por uma canção não-identificada é apenas mais um desses plot devices de sitcom antiga que, graças aos smartphones, se tornaram comicamente datados. Assista um episódio de Seinfeld, ou de Friends, e você perceberá que os inúmeros desencontros, mal entendimentos, e correrias de um lado pro outro pra resolver alguma confusão seriam completamente anulados se alguém tivesse um iPhone no bolso.

Eu estava pensando nisso outro dia, mas aí reparei que ainda existe, sim. Voltemos ao ano de 2005.

Como já mencionei aqui no blog, quando eu cheguei aqui no Canadá eu passei por uma “segunda adolescência”. Eu já tinha quase 20 anos, mas o grupo de gringos que me acolheu em seu círculo social era mais novo (15-16 anos), então eu entrei no “way of life” da pivetada, porque afinal de contas eu não tinha escolha.

Paupérrimo — já comentei que minha primeira cama no Canadá foi um sofá que tirei do lixo, né? — e sem saber falar inglês direito, eu tinha é que agradecer aos deuses o fato de que ALGUÉM queria ser meu amigo.

A galera era tudo metaleira (a Bebba, pros leitores novatos, era inclusive gótica!), e ir aos showzinhos locais nos muquifos lá de Oshawa (a primeira cidade em que morei no Canadá) era um programa comum nosso.

O local onde mais íamos é um clube chamado The Dungeon, que era um nome ambicioso pra definir o ambiente do estabelecimento: era o porão de um prédio onde operava um salão de laser tag.

Laser tag, pra quem não sabe, é tipo paintball — mas ainda MAIS sem graça. Acredito que a parada foi popularizada nas terras brasileiras graças ao How I Met Your Mother. Não assisti muito a série, mas se lembro bem o pouco que vi, a série deixava claro que um entusiasta assíduo do “esporte” é alvo de chacota.

lazer

Então. Num desses shows no Dungeon, ia tocar a bandinha de um amigo da minha mulher. O cara tocava violino clássico, mas era fã de metal, então ele incorporava a melodia característica do instrumento ao som mais pesado e 190% mais satânico que é o som do rock pauleira.

O show foi foda. Tocaram alguns covers do Metallica, do Tool, de algumas outras bandas que não lembro, e aí finalizaram com uma música deles. Era meio melódico (talvez por causa da adição do violino), com uma pegada mais “dirty”, mais grunge; aliás, lembrava um pouco o próprio Tool que eles fizeram cover.

A música era foda; a adição de violino dava aquele toque meio etéreo, meio “épico”, à música. Mas até onde sei os caras nunca gravaram um disco, então não tenho como descobrir que música era, não lembro NADA da melodia, afinal isso rolou uma década atrás. Não sei nem o nome do maluco, já que minha esposa perdeu contato com ele há anos.

Eu NUNCA MAIS vou ouvir aquela música na vida. Pior, se algum dia ouvisse novamente por acidente (digamos, na extremamente rara circunstância dos caras ficarem famosos e a música entrar no topo das paradas das rádios com um feat. Nikki Minaj ou sei lá quem), eu nem seria capaz de reconhecer a música mais, a essa altura.

Me sobrou apenas a lembrança de que a música era foda. E como gostos mudam, é possível que ouvindo-a hoje eu nem gostasse mais tanto. Aí entra num assunto filosófico ainda mais cabuloso (simulacros e o caralho), mas isso é intelectualidade demais pras 8 da manhã de uma terça feira quando eu ainda estou de cueca na frente do computador.

Você tem alguma “música perdida” também? Vamos debater nos comentários. A minha é sem esperança, já que eu duvido que havia no ambiente um leitor do HBD que gravou um bootleg da apresentação (mas se tiver, me manda no email aí plis); já a sua música perdida, alguém pode te ajudar a identificar. Mande seu “hmm hmm hiiim…” nos comentários!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

37 comments

  1. Fui num show da Clarice Falcão ano passado, e ela tocou uma música (acho que foi a penúltima) que ainda não tinha sido gravada.

    Eu adorei aquela música, mas nunca mais consegui encontrar, nem mesmo naqueles vídeos verticais do Youtube.

    Lembro só de um verso, que dizia “…foto de casal no perfil do Facebook.”

    Se alguém souber que música é, teria anos de minha gratidão hahaha

      1. Mano. Eu sou um idiota HAHAHAHA

        Eu procurei feito um maluco nos dias depois do show, depois desencanei.

        Nem pensei em procurar de novo…

  2. Não tenho uma música perdida, mas tenho um livro. Estava eu na segunda série do primeiro grau (hoje chamado ensino fundamental) e a professora de Educação Artística tinha faltado. Veio a inspetora de alunos ficar com a molecada e trouxe um monte de livros para tentar nos distrair. Eram todos livrinhos apropriados pra um moleque de 8 anos padrão, cheio de figuras e pouquíssimo texto. Eu pegava um, lia em 2 minutos e já ia lá trocar. Até que em uma das trocas peguei um livro diferente, com poucas figuras. Comecei a ler, era uma história de mistério, muito interessante. Não consigo me lembrar dos detalhes, afinal já se foram 25+ anos. Ia lendo e o suspense ia aumentando.

    De repente, vem a inspetora de aluno curiosa para saber o que eu estava lendo porque já fazia um tempão que eu não trocava o livro. Ela olhou o livro, tirou da minha mão e falou que aquele livro não era para criança da minha idade, que ela tinha trazido por engano. Entregou-me outro livro sem graça cheio de figurinhas e se afastou.

    Na época eu me conformei. Mas vez ou outra eu ainda lembrava daquela história que eu não vi o final. Quando eu finalmente cheguei à idade de poder ler o livro que eu bem entender, eu já não me lembrava mais do nome do livro, nem mesmo do enredo, só me lembro do clima de mistério. Primeiro fiquei sem saber o final, agora não sei mais nem o começo.

    Hoje estou ciente de que provavelmente não encontrarei aquele livro novamente. Mas, ainda que encontre, provavelmente não me recordarei mais dele. E, pior ainda, possivelmente nem acharei mais interessante. Afinal, muita coisa que eu achava o máximo aos 8 anos não tem mais graça hoje.

  3. Existe uma música que eu meio que ouvi recentemente e que será impossível ouvir outra vez. Era um um sonho em que os Beatles faziam um cover de It’s The End Of The World, do REM. Infelizmente acordei antes da música acabar, e fiquei ainda mais triste por saber que isso só foi possível em minha cabeça, já que a música foi lançada após o término dos Beatles e até mesmo depois do assassinato de John Lennon.

  4. Putz eu compartilho esse curiosidade. Um show em Auckland, NZ de uma cantora nao muito famosa, Brooke Fraser, na igreja holy trinity. Minha esposa curte demais essa muie.
    Teve uma banda de abertura, os caras tocaram 3 musicas fodas e nao falaram o nome da banda. Foi uma abertura demais com luzes e efeitos bem legais, o pe direito gigante da igreja ajudando, FOI FODA DEMAIS!
    ninguem sabe o nome dessa banda e como os caras nao fazem o merchan deles

  5. Eu demorei uma década pra descobrir uma música que tinha numa fita que ouvi quando criança, e só encontrei quando lembrei que fita era essa. A fita era a Hit Parade e a música era “Heaven for Everyone” do Queen, uma música que não tem cara da banda, já que veio numa daquelas experimentações deles, mas a música é foda!

  6. Quando eu era criança, achei uma fita cassete que era de uma banda bem legal. Lembro de ter escutado essa fita por meses, ela era branca e eu costumava ouvi-la no meu walkman. O som era de uma banda provavelmente dos 80’s, que tinha vários membros (ou várias vozes) e pareciam ser jovens cantando.
    Na época eu tinha uns 7-8 anos de idade e não sabia inglês, então não faço ideia de como era o nome da banda e não lembro da melodia nem das letras das musicas.
    Acho que nunca mais vou ouvir aquele álbum novamente. hahaha

  7. Esse sentimento de não encontrar uma música ou algo do passado é muito frustrante…

    Tem uma música que eu caço pela internet já fazem uns 10 anos. E quando eu digo que caço é porque já virou meio que um ritual anual para mim, onde no dia que eu lembro dela eu passo umas 2-3 horas ininterruptas buscando essa música com as poucas referências que eu tenho..

    Lembro que escutava essa música na época de escola, quando o motoboy que trabalhava para os meus pais me levava e me buscava para a aula. Ele sempre estava com seu discman com um adesivo do homem-aranha que eu achava foda, e alguns cds na mala.

    Fora o CD sobrevivendo no inferno dos Racionais que deve ter derretido de tantas vezes que o rapaz escutava (nessa época decorei a letra de diário de um detento por tabela), ele também tinha esse fatídico CD, que era um compilado de músicas meio black (internacionais) dos anos 80/90 se minha vaga memória não me sabota.

    Uma das únicas coisas que lembro é que esse CD também continha aquela música “lollipop”. Não tenho 100% de certeza se era a versão das Chordettes, mas eu acho que sim.

    E a música que eu venho buscando, e espero um dia achar, era a de abertura do CD se não estou enganado. Tudo que consigo descrever é o seguinte:

    A música abria com um cara gritando duas palavras com uma voz bem imponente, que na minha memória soam como “Elzireeen (pausa de 1 seg.) posincheeen” ai temos mais uma pequena pausa, e entra um outro cantor, também homem com uma voz mais aguda cantando num ritmo mais rápido e animadinho algo que soa como “kimi the blom kimi the rai log me the riden, ie ie ie ie”

    E isso é tudo que eu lembro.. Eu sei, essa “transcrição” é patética, mas simplesmente não consigo assimilar esse som gravado na minha mente com palavras similares em inglês ou outro idioma que façam sentido.

    Já tentei procurar de muitas formas, como caçando por cds de compilações que continham lollipop, ou colocando “”ie ie ie ie” lyrics” no google e caçando várias páginas de letra, ou procurando CDs compilados de black no mercado livre, ou qualquer outra idéia que me venha na cabeça na hora.

    Eu já achei muitas músicas, jogos e livros que eu lembrava de pouca coisa pra ter como base, mas o dia que eu achar essa música, eu abrirei um champagne.. E se alguém por um acaso do destino me ajudar, terei o maior prazer em enviar uma garrafa.

    Abçs

    1. Será que é Sean Paul -- Gimme the light?
      Se não for, acho que posso te ajudar dizendo que o seu “kimi the **** kimi the ***” deve ser “gimme the ****” em inglês. Gimme = give me, então seria algo do tipo “Give me the ****, give me the ****”

  8. tinha um comercial no cartoon network, acho que de algum desenho novo que ia passar no canal, tocava uma música meio faroeste muito boa. O comercial era tipo uma história em quadrinho que ia passando as páginas, era muito foda também…infelizmente não lembro qual era o programa(acho que devia ser algum desenho de super herói, explicaria a “HQ” nele), isso foi há quase 10 anos eu acho, se alguém souber…

    1. afro samurai?? acho q passou no adult swim q era um bloco do CN brasileiro (adult swim na gringolandia é um canal)

  9. Já aconteceu isso comigo uma vez, ouvi uma música não lembrava aonde, mas direto a melodia -- magnífica por sinal -- aparecia na minha mente e me deixava inquieto por não saber que música era. Ao cantarolar um embromation da melodia do refrão da música, um tecladista conhecido meu na época falou “Deve ser Carpet Crawlers, do Genesis”.
    Cheguei em casa e fui procurar no Youtube. Quer sensação melhor do que achar música que tava no inconsciente??! =D
    Era a música mesmo!

  10. Engraçado vc falar isso IZzy. Recentemente eu vinha pensando nas bandas da minha cidade de quando eu ia em festivais de heavy metal na adolescência. Pensando nisso percebi que existe muitas músicas que eu gostaria de ouvir novamente mas que hoje é impossível pois estás acabaram sem deixar nenhum registro na história. O pior que eu também sinto muita falta de musicas que eu tocava em minhas bandas e hoje n lembro ou n posso reunir a galera p ouvir aquela música tal qual está na minha mente.

  11. Sim, um amigo meu tinha uma banda foda pra caralho e eles tinham gravado um EP. Eu fui chamado pra tocar com eles e acabei aprendendo a maior parte das músicas, mas uma delas em especial não tava no EP que me deram, eu escutei no MySpace deles.

    A banda acabou, nunca consegui encontrar a gravação daquela música especifica, que era minha favorita, meu broder não tem e não consigo achar o baixista que foi quem escreveu a porra da musica pra pedir uma mp3.

    Eu ainda cantarolo elad e vez em quando.

  12. Música, não; livro, sim. Eu não me interessei pelo livro, mas pelo que tinha no livro. Deixa eu ir pelo começo.

    Estava eu em mais um aula de matemática na segunda ou terceira série (acho que era segunda) quando eu decidi abrir e folhear o livro didático. Por ser filho único, eu nunca fui muito bom em fazer amizades e sempre tive um círculo restrito de umas oito ou dez pessoas com quem eu conversava em sala de aula, sendo que esse realidade só foi mudar lá na quinta série em diante porque as salas eram quase as mesmas e assim eu acabava me relacionando com os outros em dias não muito convencionais, como preparação para fazer enfeites de festa junina; ou simplesmente porque os amigos dos círculo faziam amizade com outras pessoas e eu acaba fazendo o mesmo também.

    Enfim, da segunda à quarta eu não me comunicava muito com o pessoal, e na segunda isso era bem pior e eu só conversava com uns cinco. Eu não sei porque eu não fui falar com nenhum deles naquela hora. Minha memória do dia é meio ruim, mas acho que estávamos em meio a uma explicação e eu comecei a folhear por tédio. Folhear seria a saída mais certinha para um CDF cristão e respeitador das leis escolares que eu era.

    Uma hora eu me deparei em um capítulo que falava sobre moedas e apareceu umas quatro páginas de moedas antigas. Pronto! A saída perfeita do tédio com duas coisas eu adorava enquanto criança e que até hoje eu adoro: dinheiro e antiguidades! E foi em uma dessas moedas que eu vi algo que prendeu ainda mais a minha atenção: em uma dessas moedas estava uma cunhagem de uma rainha de perfil que era a cara da minha mãe! Eu fiquei extasiado ao ver que um mulher que governou algum lugar há vários e vários anos atrás era a cara da minha mãe. Na época, os livros eram colocados em um armário no final das aulas de matemática que ficava na sala, então todo dia quando eu ia pegar o livro eu olhava pr’aquela moeda e ficava olhando, admirado. Eu cheguei inclusive a cogitar em usar a tesoura para cortar a moeda ou a página da moeda, mas como um bom CDF cristão e respeitador das leis escolares, eu não fiz isso e agora nunca mais poderei ver aquela imagem da moeda novamente.

    Pode parecer uma coisa banal pois tem um pessoal que consegue achar pessoas que viveram há anos e anos atrás iguaizinhos a pessoas famosas de hoje em dia, mas é justamente aí que há a raridade da situação: iguais a pessoas famosas, mas não a uma dona de casa com um filho cdf e tímido. Eu achei por acaso uma coisa que uma pessoa em um milhão irá achar na vida para compartilhar com o bendito parente que parece com uma pessoa que morreu há séculos e não aproveitei a chance, e agora nunca mais verei a tal moeda novamente.

  13. As musicas que eu sei que nunca mais vou conseguir ouvir são aquelas que vinham nos cracks dos jogos de PC. Duvido alguem achar elas hoje em dia

  14. Aconteceu comigo com um livro, parecido com o colega de alguns comentários aí pra cima. Eu não lembro bem minha idade mas acho que eram 7 ou 8 anos. Eu peguei na biblioteca do SESI um livro do Robinson Crusoé na seção infanto juvenil e eu fiquei simplesmente apaixonado pelo livro na época. Li mais de uma vez, renovei várias vezes mas tive que devolver. E nunca mais consegui achar de novo, já achei outras versões de Robinson Crusoé mas nunca essa. E o pior é que eu não lembro bem como era, as únicas coisas que eu lembro é que tinha uma ilustração no início de cada capítulo e que o livro tava na seção infanto juvenil haha. Se alguém souber aí…

  15. Aconteceu comigo com um livro, parecido com o colega de alguns comentários aí pra cima. Eu não lembro bem minha idade mas acho que eram 7 ou 8 anos. Eu peguei na biblioteca do SESI um livro do Robinson Crusoé na seção infanto juvenil e eu fiquei simplesmente apaixonado pelo livro na época. Li mais de uma vez, renovei várias vezes mas tive que devolver. E nunca mais consegui achar de novo, já achei outras versões de Robinson Crusoé mas nunca essa. E o pior é que eu não lembro bem como era, as únicas coisas que eu lembro é que tinha uma ilustração no início de cada capítulo e que o livro tava na seção infanto juvenil haha. Se alguém souber aí…

  16. Cara, eu tenho uma música que não sai da minha cabeça tem uns 7 anos, na época eu tinha aulas de Karatê ainda, e no mesmo local tonha aulas de dança, e 75% das vezes que eu chegava, na hora que a aula de dança estava acabando tocava uma música, acho que era um rap ou hip-hop, algo parecido, e tinha um trecho que é a única coisa que eu me lembro (momento puxando da memória, não zoem por favor) “Baby tonight, it’s falling down… oh baby tonight yeah” e a melodia era meio triste e tals (com certeza a letra não ceve ser essa e tals, mas é o que eu me lembro e era o que parecia na minha cabeça na época) e eu tento desesperadamente há anos encontrar essa música.

  17. Quando tivemos o primeiro computador em casa, Windows 95, veio instalado nele um programa, o nome era algo com Yamaha Studio Mixer.. Ele tocava várias músicas instrumentais, e havia uma telinha que exibia imagens durante as músicas, e podia clicar em várias opções (botões) que “ligavam” ou “desligavam” os instrumentos separadamente, por ex. colocava uma das músicas pra tocar e podia ouvir só a bateria, ou sem bateria, ou mudar a música pra versão só com piano, versão só com viola, etc.. eu gostava de ficar assim brincando ouvindo as músicas de diferentes jeitos. E tinha uma em particular que eu gostava mais, que quando tocava a telinha exibia cenas de uma cidade com praia que na minha cabeça era no México. Não consigo explicar como era essa música e nunca consegui procurar direito esse negócio na Internet.

  18. Nos anos 90, em 1994 eu acho, fui num show/festival de metal extremo (black, death, grindcore) em Guaíba-RS, tocaram muitas bandas que lembro os nomes, Vômito, Berzabum, etc. Só que uma delas era um misto de grindcore e noise, o baterista ficou tocando britadeira por 5 minutos numa música em que eles gritavam “A E I O U”, foi uma galhofa total. Nunca soube o nome da banda.

  19. A Música da gaita!

    Turiruririri
    Turiruririri

    Ta ta ta ta ta ta tuuuuu

    Turiturituririri

    Turiruririri
    Turiruririri

    Uma musica dance, só que era uma gaita do inicio ao fim. Tocava nas radios la pelos anos de 1997, 1998…

  20. Música eu não tenho, mas tenho uma coisa muito mais cabreira. Quando tinha 8 anos eu conseguia chegar na ultima fase do Super Mario World sem passar pelo segundo castelo. Eu sei que existe o Star World mas eu duvido muito que eu era capaz de passar por ele sem a mágica da internet, Só lembro que eu spawnava em cima do castelo do Bowser e tinha chegado a mostrar pra dois amigos meus, que eu já perdi contato.
    Alguém tem uma sugestão? ROMs piratas no Brasil eram tão comuns assim? Eu perdi a fita quando me mudei e nunca mais fui capaz de saber essa solução. Anos depois voltei a jogar SMW no emulador e desde lá não sei como eu fazia.

  21. Música eu resolvi quase tudo, graças ao Shazam. Mas tem um livro e um filme: o livro é bem diferente. É como se fosse um livro de cartas no qual as próprias cartas estão anexadas ao livro. A cada página tem um envelope com a carta dentro, fotos, postais, e nós vamos abrindo e lendo. Não lembro qual era o tema das cartas, ou quem eram os autores da correspondência, mas lembro que gostei demais deste livro e provavelmente nunca vou vê-lo de novo. O filme é bem antigo: anos 50 ou 60, por aí. Era uma comédia romântica ao estilo que Rock Hudson e Fred Astaire faziam: tinha uma moça que estava comprometida com o cara chato e que odiava o mocinho. Ele era meio cínico e roubava beijos da mocinha. Agora o detalhe que eu lembro e que identifica o filme: toda vez que o beijo terminava a mocinha estava sem os sapatos. Ela sentia alguma coisa que a fazia tirar os sapatos, não sei se era dor ou cócegas. Já procurei em fóruns especializados e nada. Quem sabe a Matrix está brincalhona e o público do kid, na faixa dos 20 anos conhece um filme de 60 anos ou um livro obscuro de edição limitada (torço muito).

  22. A galera aqui PRECISA conhecer o subreddit r/tipofmytongue.

    Deixarei aqui um post que escrevi no Facebook em dezembro de 2013:

    “O ano era 2011. Eu tava na casa dos meus pais usando o computador enquanto eles assistiam novela (Insensato Coração, quem lembra? Ninguém.) De repente, começa a tocar uma música que parecia ser boa, então corri lá pra ouvir mas ela só durou uns 10 segundos. Esperei um dia ou dois e achei o episódio da novela no YouTube e gravei o trecho da música pra poder encontrá-la um dia. E o arquivo ficou perdido no meu HD por mais de dois anos. Hoje eu encontro ele aqui no meio de algumas pastas e me vem a ideia de fazer o upload e perguntar na melhor rede social já criada, que diabos de música era aquela. Em DOIS MINUTOS um usuário gringo me responde com o nome, o artista e o link da música. Aqui fica meu agradecimento ao u/Snurpie (que provavelmente nunca irá ler isso) e à Estela por me apresentar o Reddit.”

  23. Então, era um livro…
    dentro do livro, tinha um poeminha, que nao tinha nada a ver com a história principal. um personagem lia esse poema (ou era uma música?).
    O livro é grande, e o poema pequeno, mas não lembro nada da história do livro, só do poema haha
    Tinha 3 estrofes. Falava sobre um casal que marcava de se encontrar abaixo de uma árvore onde um homem foi enforcado. Na última estrofe vc descobria que o homem que planejava fugir é que foi enforcado.
    Já procurei no google, mas só achei um ‘Hangman poem’ que nao tem nenhuma relação…
    ALGUÉM??? =(

  24. PELO AMOR DE DEUS alguém me ajuda pq estou procurando isso há 6 anos. na mtv brasil, em 2011, tinha um programa chamado goo, e infelizmente eu só pude ver os 2 primeiros eps. em um deles, tinha um clipe de uma mulher cantando ‘dududu” e uma mulher nua. e no outro tinha várias pessoas dançando na rua com roupas coloridas. me ajudem!!

  25. Galera por favor me ajudem.. na vdd e um clip… ele vinha no mp4 .. sabe mp4.. eu não tenho muito lembranças.. so me lembro que era um clipe onde uma garota, batia na porta da casa de um cara. .e deixava algo la.. e sai.. ai ele abria a porta e pegava.. enfim quem pude me ajudar

Leave a Reply to lchsmrt Cancel reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *