[ Pergunta do Dia ] Seria o Natal gringo o Natal “de verdade”?

natal

Este ano minha mãe finalmente imigrou para o Canadá, finalizando uma década de distância entre nós. Por isso, a Bebba estava super empogadada pra fazer um Natal em família, mas não apenas isso — ela queria saber como é o Natal no Brasil, pra preparar algo similar aqui. A Bebba é dessas que curte fazer artes caseiras e tal; no apartamento antigo a mesa da sala era completamente dominada pelas miçanguinhas e tecidos e cola plástica e whatevers dela. Então ela já estava planejando abrasileiras nossas decorações natalinas pra melhor recepcionar minha mãe.

“Bom”, falei, “o Natal brasileiro é meio que igual ao daqui, de certa forma. Os símbolos são os mesmos — pinheiro, (boneco de) neve, Papai Noel, etc”.

Ela franziu a testa.

“Mas não tem nada especificamente típico do Brasil nas celebrações de Natal de vocês que a gente possa fazer aqui pra ela se sentir mais em casa…?”

Nunca fui ao Brasil com ela durante o Natal (aliás, o último Natal que passei no Brasil foi em 2002), então subitamente caiu a ficha de que ela nunca viu um Natal brasileiro.

Puxei um pouco mais na memória e balancei a cabeça negativamente.

“Nem tem. As nossas imagens natalinas são 100% baseadas no que vemos nos filmes americanos, então a gente adota toda aquela iconografia…”

Ela fez uma cara de dúvida e eu respondi a próxima pergunta dela antes que ela a fizesse.

“Sim, eu sei que não faz nenhum sentido. Não apenas não neva no Brasil*, mas o Natal cai no nosso verão — o que torna a decoração natalina que a gente vê no shopping ainda mais incongruente.”

Expliquei pra ela que isso acontece porque o Natal brasileiro não tem nenhuma identidade própria; a gente basicamente emula o que vemos em filmes americanos.

Deixa logo eu esclarecer antes que os chatos de sempre rasguem os cus de ódio nos comentários: não acho que haja nada de errado com isso. Não sou desses ativistas Carta Capital-style que brada furiosamente que o imperialismo estadunidense estraga tudo e mimimi e sim, são estadunidenses porque “TODOS SOMOS AMERICANOS, ELES NÃO SÃO DONOS DO CONTINENTE INTEIRO!!111″ e etc.

Eu não vejo nada de errado em por algodão na vitrine da loja pra simular neve. É como conhecemos o Natal, afinal de contas. Vão usar o que?

Mas o ponto é inegável: o Natal “de verdade”, o Natal conforme conhecemos através de Esqueceram de Mim e O Grinch e Milagre na Rua 34 e pinheiros e neve e gorrinho e velho agasalhado pra entregar presentes, é o Natal americano mesmo. Nós não temos uma identidade natalina nacional, e por isso emprestamos a de alguém que tem.

É tão bizarra a nossa falta de espírito de natal que comerciais como esse passam no Brasil e ninguém acha estranho — mesmo com música em inglês e tudo, porque foda-se, não vão botar Simone – Então É Natal.mp3 na porra do comercial né?

O processo de assimilação do Natal americano já é tão velho, e portanto aceito sem qualquer ressalva, que a gente não vê nada de estranho num comercial de uma data comemorativa completamente lotado de referências estrangeiras. Por mais que cause revolta ouvir que nosso Natal “não é de verdade”…

Essa garota no Twitter, por exemplo, que não entendeu o ponto de forma alguma e está revoltada até agora.

…é algo que já aceitamos como norma. Não é que o “natal de verdade” PRECISE ter neve — é que, por bem ou por mal, essa é a única interpretação que existe, quer isso faça sentido no seu país ou não.

Pra que você realmente aprecie o quão sem sentido aquele comercial de Natal da Coca Cola é, imagine que este vídeo terminasse com um letreiro dizendo “FELIZ FESTAS JUNINAS!”

Por causa disso, quando eu cheguei aqui em 2003 — especialmente porque cheguei no final do ano –, minha primeira impressão foi “nossa, o Natal aqui é igual ao dos filmes!”. O que, meio que por tabela, o torna o Natal “real”; o que nós convencionamos no Brasil a emular, embora não faça muito sentido num país tropical.

A pergunta real aqui é — se não fosse a onipresente influência norte-americana, como seria um autêntico Natal brasileiro…? Essa padronização do Natal americano como o Natal “real” é global…? Existe algum país que celebre Natal com iconografia diferente? Ou padronizou geral já? Se o estilo já é usado no mundo inteiro, ainda vale sequer classifica-lo como “Natal americano”?

*Sim, eu sei que você vai se ater à literalidade e mencionar que nevou uma vez em 1900 e alguma coisa e outra vez dois anos atrás. O ponto é que neve não é um fenomeno meteorológico comum o bastante no nosso país pra que representações natalinas nevadas façam sentido para um país tropical.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

33 comments

  1. Cara, natal não tem tradição, mas em compensação o ano novo brasileiro é cheio de referencias da umbanda e afins. Pelo menos nisso a gente tem nossa própria tradição.

      1. Não entendo o que tem de triste em umbanda.
        Eu, mesmo sendo judeu, acho lindo ver o pessoal lá de branco na praia com seus rituais.

  2. Pra mim, o natal brasileiro tem que ter os tios bebados conversando qualquer mrd ao redor da mesa e também tem que ter gente ligando carro de som em outra casas no máximo, com alguma música de forro. Esse é o meu natal BR

  3. Eu acho que países europeus devem ter tradições natalinas mais específicas de cada nacionalidade, já que a cultura deles é “mais antiga”, por assim dizer, do que a americana. Na Alemanha tem aquele anti-papai-noel e tals, e se não me engano tem um outro feriado que é mais importante na Espanha. Mas países tropicais, especialmente países em desenvolvimento, deve ser tudo baseado no cinema mesmo.

  4. Na minha casa, ao contrário do que alguns falaram, a gente esperava sim para abrir os presentes no dia 25. Quando criança eu dormia muito antes de meia noite, e tinha aquela magia de tentar ficar acordada na cama esperando ver o papai noel deixar os presentes, e era mágico acordar no dia seguinte e encontrar as caixas. Mas tirando isso, não vejo nenhuma identidade visual no natal brasileiro. Acho que a gente pode falar de algumas comidas típicas, e só! E acho que a única comida realmente natalina é o panetone. A gente até pode comer em outras épocas, mas é esquisito e tem cara de natal. Nem mesmo o peru é unanimidade na ceia. Aliás, nem a ceia é unanimidade -- algumas famílias fazem a ceia no dia 24, outras, como a minha, comemoram apenas no dia 25.

  5. pô izzy, assim você me envergonha.
    Não sei no resto Brasil mas aqui em Goiás, especificamente na minha cidade, é churrasco durante o dia e ceia durante a noite, ou ceia durante o dia e churrasco durante a noite… e mais churrasco e festa durante a madrugada.
    o dia 24 aqui é basicamente isso: festa e comida.
    já em relação a decoração é basicamente isso que você falou, porém mais simples que aí na america do norte. vale lembrar que aqui nem todos tem condição de enfeitar suas casas como querem. no máximo uns pisca-pisca’s (?) nas arvores em frente de casa e uma arvore de plástico na sala com um presépio do lado

  6. Uma coisa que vejo acontecer é que diversas famílias tem as próprias tradições e misturam elas com a influencia americana. Por exemplo, em minha casa são feitos diversos tipos de pães e doces alemães nesta época.

  7. Verdade, Izzy Pobre. Pra mim Natal sempre foi pernil, pinheirinho (só tinha um pinheiro num bairro vizinho de onde eu morava. O povo se matava pra tirar um galho antes dos outros), chuva e Roberto Carlos.

    Quando eu fui morar na Inglaterra é que eu vi Natal mais ou menos do jeito que tem de ser. Agora aqui nos EUA tô vendo o que é Natal MESMO.

    O que eu acho que é mais brasileiro é Ano Novo. Aquelas paradinhas de roupa branca, São Silvestre, ceia, etc.

  8. fui pros EUA em na época do natal em 2011. E depois disso, todo ano acho o natal no Brasil sempre meio sem graça.

    Mas eu não vejo problema nenhum nisso. Eu acho que, se houvesse um investimento maior em publicidade, o Brasil poderia exportar as festas juninas. Algo mais ou menos ocorreu já com o Dia dos Mortos mexicano, então porque não?

  9. Imagino o Natal Brasileiro mais inspirado nos cenários dos presépios.. a manjedoura humilde e rústica, os animaizinhos, a família, estrelas, sinos.. acho que se o Natal aqui não fosse tão americano, seria mais religioso, mesmo que só decorativamente, pq o que importa são os presentes e a ceia -- no fundo Natal é isso, presentes e ceia.

  10. No catecismo, eu perguntei pro Padre…

    ” Mas aonde Jesus nasceu não existe neve ”

    Ele me respondeu…..

    Vejo que vc gosta de geografia, isso é de ser admirar para um menino de 9 anos….

  11. Acho que dá pra listar algumas tradições do natal brasileiro, ainda que meio “frouxas”:

    -- Abrir os presentes no dia 24 mesmo;
    -- Almoço de família no dia 25;
    -- Panetones, chocotones, docedeleitones, trufones e afins a rodo;
    -- Todo mundo sai nas fotos de roupinhas leves (shortinhos, bermudas, regatas, vestidinhos) por causa do calor infernal nessa época do ano;
    -- Levar as crianças em TODOS os shoppings da cidade pra tirar foto com os papais noeis;
    -- Sorvete;
    -- Panetone com sorvete;
    -- Muita cerveja;
    -- Roberto Carlos na TV (que ninguém faz mais questão de assistir);
    -- Casas decoradas fajutamente com luzinhas esparsas;
    -- Pinheiros de plástico.

    É curioso reparar que foi imitando o natal americano que nós acabamos criando o nosso próprio natal característico 😀

  12. O verdadeiro natal remete ao solstício de inverno, então o natal comemorado no mundo dia 25 de dezembro é o natal do hemisfério NORTE, com neve, mesa farta e lareira. A comemoração para o início do verão é outra.

  13. Eh raro eu comentar, mas eh uma pergunta válida e ninguém respondeu. Não a sua, a da sua digníssima. 🙂 A sua eh uma discussão sociológica, mas há vários exemplos, como as posadas mexicanas.
    Mas a questão eh ajudar a recepção de sua mãe. No quesito decoração, só lembro do presépio, que eh forte no Nordeste. Sei que aí tem nativity, mas acho que eh diferente.
    No quesito comes, tem o panetone, ao invés do fruit cake. Tem rabanada tb. Ah, tb tem o presunto, que acho que não tem aí. Acho que só. De qualquer forma, acho que sua mãe vai gostar do Natal “real” mesmo, igual ao dos filmes. Esses pequenos toques vão alegra lá por mostrar que houve preocupação.
    E agora fiquei curioso. Tendo sido evangélico, vocês comemoravam Natal?

  14. A única coisa mais brasileira que realmente me bate à mente são relacionadas às comidas: aquelas comidas mineiras pesadas que são uma delícia, e outro estilo em contrapartida é o uso de frutas e decoração tropicais na ceia -- mesclados com essa iconografia america.

    Uma coisa que me pergunto: Essa iconografia a que se refere foi criada nos EUA mesmo? por algum motivo obscuro sempre achei q fosse européia (embora todos saibamos q os americanos sempre se importaram mais com esse lance de decoração caseira e de jardins)

  15. Izzy,

    Uma coisa que sempre tem no natal aqui em casa, não sei se tem no Canadá, mas eh chester, tender (meu favorito com abacaxi ou mel), panetone é bastante frutas….

    Abraços e boas festas!!

  16. Oi Izzy, e o “Natal” chegou novamente, hein! Mais um ano, as mesmas coisas, os mesmos costumes.
    Sabe, eu não gosto do natal, é a época mais hipócrita do ano, sei lá.
    Tipo, não me entra na cabeça as pessoas sofrendo para comprar presentes, brigando na seia, se ostentando e ainda achando tudo isso divertido.
    Na verdade talvez você me ache meio amargo, mas me dá nos nervos esses “ding dongs, fonfons e finfins” nas músicas típicas dessa época.
    E quanto ao Papai Noel ou Pai Natal, sei lá, meus filhos não vão cair nessas besteiras.
    E como último ponto, pior de tudo são as religiões ou pessoas religiosas, que afirmam comemorar o nascimento de Jesus, desconsiderando as origens do costume de 25/12.
    Sobre isso, tem um texto aqui (http://www.jw.org/pt/publicacoes/revistas/wp20121201/por-que-alguns-nao-comemoram-natal).
    Será que aí entre os leitores do HBD, tem mais alguém que não gosta dessa data?
    E isso que eu nem mencionei o ano novo com às fanfarrices que lhe são características, como colocar cuecas novas e multicores, comer lentilha, dar três pulos, sete desejos ou comer quatro uvas.
    Parece que nessa época do ano, até os mais céticos tem alguma supertição. Prefiro ficar fora disso, rs. 🙂

    Parabéns pelo texto, e àqueeeeele abraço!

  17. OI Izzy! o Natal aqui na minha cidade(que fica no interior de Minas) tem a tradição de um grupo de foliões que vão nas casas cantar(cantigas muito antigas) e rezar (orações proprias para epoca).O Natal aqui é mais focado ao nascimento de Jesus..Tambem fazemos amigo oculto!A Bebba ja participou de algum amigo oculto? abraço pra vcs

  18. A questão é esse natal importado está mais incrustado na cultura das megalópoles brasileiras. Pesquisem por pastoril, folia de reis, isso só pra falar do natal cristão nordestino, nem imagino como deve ser no norte. Vocês vão entender até outras festas como carnaval. Vocês precisam se dar conta que o mundo vai além do que vocês veem. Sou de sampa, e infelizmente tenho que aceitar aquela decoração da paulista, que não tem nada de brasileira.

  19. Bem Bruno Peruchi e Caio Esteves falaram um pouco sobre o Japão nos comentários do facebook. Para não tornar repetitivo vou pontuar as diferenças e semelhanças entre o natal dos EUA importado pelo Japão e o Natal dos EUA importado pelo Brasil especificando meu estado pois ha diferenças em cada estado brasileiro.
    Nasci no Brasil em Porto Alegre-RS estado de forte influencia portuguesa( como todo o pais)junto a forte influencia espanhola e indígena, alemães e italianos.
    Na minha família especificamente tenho costumes orientais e indígenas mais predominantes, então o meu natal era para a maioria dos brasileiros um pouco sem graça.
    No comercio a decoração gaucha e igual, com neve, Noel enfeites, etc. A mais bonita decoração fica nas cidades serranas de Gramado e Canela( sintam-se convidados). Nas casas isso pode mudar de acordo com o costume e influencias.
    Em minha casa montávamos a arvore de natal e deixávamos ate janeiro. Minha mãe adorava decorar a casa com toalhas natalinas,almofadas e guardanapos,cortinas vermelhas e tudo mais, nunca tivemos presépio.
    Na minha adolescência me revoltei contra o natal e o máximo que eu fazia era colocar pisca-piscas(detesto desenrola-los ate hoje)no pinheiro vivo fora de casa com direito a papai noel grudado na parede de casa, o resto me dava preguiça.
    Na ceia não esperávamos ate meia noite para comer ou abrir os presentes, ate por que na maioria das vezes minha mãe trabalhava no feriado. Por mais estranho que pareca para alguns,ha vários tipos de emprego no Brasil em que as folgas são por escala, como ramo de hotelaria, comércios que não fecham, entre outros. E uma ilusão achar que todos descansam neste dia.
    Costumes alemães que acredito que todo o gaúcho mesmo sem descendência alemã tenha e comer doces de frutas, cuca e bolo inclusos na sobremesa da ceia. Minha mãe ainda fazia pudim, torta de bolacha e biscoito de natal feito no forno em forma de pinheiros, renas e o boneco com botoes de açúcar( eu os amava).
    Outro costume gaúcho e fazer churrasco no lugar da ceia ou junto com a ceia, nem todos comem peru, alguns comem frango ou trocam por carne suína\bovina esse era o meu natal gaúcho. Ah, sem contar o clássico tio bêbado, fogos de artificio, cachorro apavorado debaixo da cama e TV ligada no Roberto Carlos e ninguém assistindo.

    Quando me mudei para o Japão não estranhei muito. No comercio, assim como no Brasil, as decorações eram tipicamente dos EUA, com direito a Noel e musicas natalinas em inglês as vezes em japonês, e claro o clima na epoca e frio e neva. Japoneses, quando decoram( mais raro)suas casas para o natal fazem semelhante a brasileiros, mas de forma bem tímida, luzes, pinheiros pequenos, geralmente comprado já decorados, globo de neve, velas.
    O feriado de natal no Japão não existe, pois não e uma nação crista logo, se trabalha normalmente( ja era normal na minha família), e tido como uma data comercial bonita. Mais recentemente os japoneses transformaram o natal em uma data romântica como um Valentine’s Day II onde se trocam chocolates, presentes, namoradas fazem surpresa eróticas ou passeiam entre os locais brilhantemente decorados das grandes cidades. Este costume virou polemica, pois algumas pessoas entram em depressão por passarem o Natal solteiros e o costume recebeu critica.
    Trocar cartões de natal e obrigatório já que a troca de cartões sempre foi uma etiqueta cultural japonesa.
    Outra peculiaridade para muito brasileiro e o costume de comer bolo ( para alguns torta)no dia de natal, este costume japonês de comer bolo veio da Alemanha só que ao invés de bolo de frutas fazem um bolo com muito chantily e morangos. Mais recentemente o japonês adotou o habito de comer frango no natal, não tenho certeza se foi um costume trazido pelos brasileiros, que são numerosos no Japão, mas sei que todo o natal eles vendem frango em todos os lugares.
    O estrangeiro dos EUA estranha muito o habito japonês de comer frango ao invés de peru, habito este que temos em comum com o japão.
    Tirando outras duvidas, no natal japonês ceia não e um costume, mas aos poucos vem ganhando mídia, pois eles adoram experimentar comidas novas e agregar culinária estrangeira. Japoneses são comilões e não tem muita frescura para experimentar novos sabores.
    Como aqui existe tudo o que e tipo de comida pronta(bentou ou vianda) em qualquer dia do ano, e muito fácil comprar uma ceia pronta no Natal, ou ir atras daquela comida br que se tinha saudade.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *