Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Pergunta do Dia ] O que te atrai num criador de conteúdo?

Postado em 11 April 2016 Escrito por Izzy Nobre 10 Comentários

criador

Quando eu comecei o HBD em 2002 (!!!), era fácil definir o que eu fazia: eu postava num blog. Eu era um blogueiro. Pronto.

Anos mais tarde com o advento do YouTube e de câmeras acessíveis, pus minha cara feia nas internets e aí virei blogueiro E vlogueiro — um vagabundo em dobro.

Pouco tempo depois comecei um podcast com o Jurandir Filho, o 99Vidas. Aí além de blogueiro e vlogueiro, tornei-me também um radialista internético. Um podcaster.

Lancei um livro. Blogueiro, vlogueiro, podcaster, autor.

Comecei a fazer streams no Twitch. Blogueiro, vlogueiro, podcaster, autor, streamer.

Já é bastante coisa pra fazer, especialmente se você considerar que eu trabalho E estudo E tenho uma esposa com quem dividir minha atenção.

Por causa de todas essas atividades, eu não sei mais o que me define na internet. O que me traz mais views/paga mais contas é o vlog; entretanto, eu comecei com um blog, então me vejo sempre como blogueiro em primeiro lugar (por mais que o HBD esteja um pouco negligenciado ultimamente). Aliás, é curioso — lá nos idos de 2012 ou 2013, quando meu vlog começou a ter uma certa ascenção, a maioria das pessoas com quem eu esbarrava aí pela vida diziam que adoravam meu vlog, e só. Não citavam o HBD.

(Se pá tem uma fração grande dos meus inscritos que nem sabem que eu tenho um blog)

O que gerava uma sensação estranha de ciúme, porque eu levava meu canal no YT na época com total casualidade, e quase me ofendia que os textos que eu produzia com muito mais esmero estavam ficando em segundo lugar pra vídeos que eu fazia de qualquer jeito. Dava quase vontade de falar “tá, ok, vídeos, whatever. Mas você lê meu blog????”. É bizarro, mas chegava a me dar uma pontinha de raiva quando eu esbarrava com algum brasileiro aqui no Canadá e o sujeito me identificava como vlogger e não como blogueiro.

Por outro lado, tem MUITA gente que só me acompanha pelo 99vidas, por exemplo — pra estes, eu sou um podcaster e nada mais.

E é por isso que a alcunha meio nebulosa de “produtor de conteúdo” é a que mais se adequa a mim. Tal qual o pato, que é um animal aquático, terrestre, e ainda por cima voa, minha hiperatividade de produção desafia uma definição muito específica. Falando nisso, se o pato é tão capaz em tantas áreas, por que o adjetivo “patético” tem conotação negativa?!

Até herói da democracia ele é

Existe um termo no mundo de negócios chamado “core competencies”, que significa mais ou menos “aquilo no qual somos realmente bons”. É fundamental pra empresas identificar seus core competencies pra que possam investir tempo e energia justamente neles, e abandonar projetos paralelos que gerem menos rendimento.

E por isso às vezes eu me pergunto — quais sao os MEUS core competencies? Tenho minha teoria, mas a minha própria visão é extremamente limitada. Queria saber o que o pessoal que me acompanha acha. É poder mostrar a vida no Canadá? É tentar abordar situações com imparcialidade (o que me rende alternativamente as alcunhas de coxinha num vídeo e petralha no outro)? É contar histórias em que me fodo?

Tem dois criadores de conteúdo que eu acompanho fielmente.

tim urban

Esse é o Tim Urban, o autor do WaitButWhy. Considero o WBW o melhor blog da internet, e não apenas da internet atual — a qualidade do WBW o torna retroativamente/atemporalmente melhor que qualquer outro blog passado também. O Tim tem um talento incomum de pegar um assunto que muitas pessoas não entendem bem (como, digamos, criogenia ou os perigos de inteligência artificial) e fazer posts gigantes destrinchando toda a parada com um senso de humor literalmente invejável. Quem me dera ser tão engraçado quanto ele.

Seja quando ele está viajando pelo mundo e escrevendo textos fantásticos sobre os países em que acabou indo parar, ou simplesmente descrevendo arte medieval inusitada de uma forma hilária, basicamente tudo que o cara produz é de altíssima qualidade e é garantidamente cheio de insights incríveis ou fenomenalmente engraçado. Ok agora vou parar de lamber as bolas dele porque meu pescoço já tá começando a doer.

Eu diria que a core competency do Tim é sua capacidade de explicar assuntos de forma interessante, e seu estilo de escrita lembra muito o tom de uma conversa informal.

O meu outro criador de conteúdo favorito no momento é o…

…Casey Neistat. Mas se você me acompanha no Twitter isto não é uma surpresa pra você.

O Casey é um vlogger americano bastante popular, com mais de dois milhões de inscritos. O cara é expert em storytelling, ou seja — pegar o seu dia a dia e transformar isso numa pequena narrativa com começo, meio e fim, editados com uma veia meio cinematográfica — trilha sonora, cenas em timelapse, tomadas com câmera pré-estabelecida numa posição como se fosse uma câmera de filme e ele estivesse quebrando a quarta parede ao entrar no frame e falar diretamente com ela.

O Casey me motiva a produzir com mais frequência e com mais qualidade. Com pouquíssimas exceções eu gosto de praticamente tudo que ele faz, e eu me identifico com o estilo de vida louco dele de fazer mil coisas ao mesmo tempo (marido, vlogger, CEO de uma empresa de tecnologia). Eu diria que essas são as core competencies dele — a garra de produzir conteúdo não importa o que, e a capacidade de fazer um dia relativamente normal parecer interessante o bastante através do poder da edição e do storytelling.

Não que o cara seja acima de qualquer crítica. Como ele expõe muito de sua vida pessoal, inevitavelmente algumas… particularidades de sua personalidade acabam emergindo, e estas são decididamente menos atraentes que outras. Sua insistência em voar seus drones em zonas populadas, acima de linhas de alta tensão, e em locais como o Rio Hudson em New York, que é uma movimentada linha de aproximação final de um dos maiores aeroportos do mundo gera muitíssimo incomodo mesmo entre o fandom do cara.

Aliás, o subreddit dedicado ao cara é repleto de críticas ao comportamento às vezes meio histriônico dele — como por exemplo, dar chilique porque a American Airlines não renovou um agrado que dava pro malandro, o que o fez soar como uma criança mimada, ou reclamar que “copiam” seu estilo quando é bastante notável que ele modelou muito de sua imagem (e seus vídeos, e a própria aparência do estúdio dele) no Tom Sachs, um artista e cineasta novaiorquino.

Apesar disso, é bacana acompanhar o dia a dia do Neistat. Eu diria que suas core competencies é a habilidade com a câmera, e em narrar o cotidiano de forma interessante.

Que criadores de conteúdo você acompanha, e por que?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: pergunta do dia

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 32 anos, também sou conhecido como "Kid", e moro no Canadá há 13 anos. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas, e sobre notícias bizarras n'O MELHOR PODCAST DO BRASIL. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

10 Comentários \o/

  1. ste says:

    Eu comecei acompanhando voce pelo blog, lááá em 2005/2006. É faz bastante tempo… E claro, depois me inscrevi no youtube e segui no twitter mas, para mim, o que voce faz de melhor é escrever! A forma como voce conta histórias é muito, muito bom! Então se eu fosse escolher um “core” seu seria o da escrita com certeza…

  2. Givanildo de Oliveira says:

    Izzy, acompanho o HBD há mais de 6 anos, devo ter começado pelo blog, lá em 2009, talvez 2010.
    Na época, não tinha smartphone, nem me ligava em YouTube, mas a cada postagem de vídeo tu avisava aqui. Depois de um tempo virei inscrito no canal (mais recentemente, de 2013 pra cá). Hoje também sou ouvinte do 99.
    E sabe por qual motivo nunca deixei de te acompanhar?
    DIVERSIDADE.
    Durante esses 6, 7 anos já tive umas 50 listas de favoritos diferentes, de acordo com a fase que eu vivia, mas o HBD tá sempre lá.
    Já gostei mais de tecnologia, já gostei mais de jogos, já gostei mais de futebol, disso ou daquilo… isso fez com que minhas listas sempre fossem mudando e um ou outro site fosse sendo substituído.
    O que mais me atrai, por aqui, é que eu não sei o que vai vir. Pode ser o dia que tu cagou no tapete do banheiro, ou a galera comprando monitor na Fnac por 99 centavos.
    A diversidade (claro que com qualidade) fará com que eu te acompanhe enquanto tu produzir conteúdo.

  3. Gustavo Borges says:

    Estou aqui pelos textões, aqueles com mais de 140 caracteres que falam de algo corriqueiro de forma engraçada, sobre como é a vida no Canadá e demais aleatoriedades, vejo apenas alguns dos vídeos e não tenho um interesse particular em falar sobre jogos antigos mesmo tendo me divertido durante muitos anos com 16 bits.

  4. Elton John says:

    Muito obrigado pela recomendação do waitbutwhy, Izzy, ainda mais com esse texto ali sobre criogenia, que para mim, é o próximo passo em relação à evolução humana.

    Aliás, você é um dos poucos vloggers que eu acompanho “fielmente”, porque como um cara falou mais acima: “Você tem uns insights que eu quase não vejo outros tendo.”

    Beijo na bochecha.

  5. Carolina says:

    Kid, acompanho seu blog há anos e, pra mim, são seus textos o melhor conteúdo que você produz. Também acompanho seus canal e os vídeos de opinião são os que mais me interessam. Dá pra ver o capricho que você investe nos vídeos, só falta voltar a dar um gás aqui no blog 😀
    abraços!

  6. izzynobre says:

    Membro do Conselho Diretor da ANATEL. Acredito ser uma maneira efetiva de expressarmos nossa preocupação com os limites de banda.

    https://www.facebook.com/AnibalDiniz13/?fref=ts

  7. Magna Carvalho says:

    Ola Izzy

    Gostei do seu texto e preciso admitir que te conheci pelo Rapadura…

    Só uma observação: patético vem de Pathos (palavra grega que significa basicamente excesso, paixão mas que é recorrentemente associada a “doença”), e não de pato (animal).Só curiosidade…

    Valeu!

  8. Eu particularmente gosto mais do HBD e dos vídeos que você se fode com maestria. Os TDTUM são os melhores vídeos. Você é o único criador de conteúdo que acompanho em todas plataformas. E eu gosto muito do NerdCast e da galera do LoopInfinito. Mas é só.

  9. Ivan Pagotto says:

    Cara vejo seu core como o que você já faz.

    Me impressiona a quantidade de conteúdo que você produz nesse seu dia-a-dia corridasso.

    Mas para te dizer o que realmente me traz ao HBDia, YT, 99Vidas e agora o MPdB é exatamente sua variedade de assuntos.

    Talvez para muitos a constância de um determinado tema ou tipo de abordagem das coisas seja um atrativo para sempre saber o que vem por esse meio de comunicação, mas para mim é o que mais me faz voltar para suas redes de comunicação.

    O fato de não saber o que vem por aí e sempre ter “alguma treta” é a quebra da mesmice, é a chavezinha que que liga e diz “Que que será que ela vai falar dessa vez?” e acredito que isso seja seu grande retentor de público.

    Muito sucesso aí meu querido!

    Abraços!