Porque criar vergonha na cara e aprender a fazer coisas das quais você depende é extremamente importante

Eu penso em muitas coisas.

Às vezes, na calada da noite, quando já ajustei a posição do lençol e do travesseiro quinhentas vezes e eles pararam de me incomodar, quando já tou segurando o iPhone meio de lado e apenas com um olho aberto (um sinal claro de que o sono está vencendo), eu dou uma última apalpada na bunda da minha esposa, viro pro lado, e finalmente relaxo pras minhas 5 ou 6 horas de inconsciência noturna.

E nessas horas eu penso em inúmeras coisas. Talento, por exemplo. Mais especificamente, a falta de talento.

Quando eu penso em “talento”, eu penso em tantas pessoas que conheço — inclusive muitas da minha própria família — que tem tantas habilidades especiais, e penso na injustiça que é o fato de que eu não sei fazer praticamente nada.

Meu irmão, por exemplo, é bastante habilidoso com desenhos. Aprendeu sozinho; uma vida inteira assistindo os mais variados narutos o conferiu a capacidade de desenhar os mais variados personagens possíveis com cara de malvado e/ou aparentemente forçando as entranhas para expelir excreções de circunferências épicas.

dbz

Este desenho não é dele mas deu pra entender o espírito, né?

Pois bem. Eu não sei fazer praticamente nada no que diz respeito a sensibilidades artísticas. Sou um guitarrista bem medíocre (por que vocês acham que nunca fiz vídeos tocando guitarra, afinal de contas?); não sei desenhar, não sei dançar, não manjo dos negócio de design… sou um zero a esquerda nessas coisas.

E isso estava começando a me incomodar, porque pra produzir conteúdo pra internet é necessário ter alguma habilidade artística. E a vida esfregou isso na minha cara recentemente.

You see, eu produzo conteúdo pro youtube. E todos os gurus do negócio insistem que fazer thumbnails pros vídeos é uma estratégia extremamente necessária pro marketing das suas produções.

E eu não duvido. Só que, como já deixei claro, esse tipo de coisa é além das minhas habilidades. Não sei NADA sobre edição/diagramação de imagem; se for depender de mim, eu tou fodido e os vídeos vão ficar sem “capinha” mesmo. Foda-se.

O Gustavo Kondo, um leitor do meu site se ofereceu a fazer algumas thumbnails pros meus vídeos, mas como em praticamente qualquer situação que você se vê dependendo de alguém que você não está pagando — ou seja, alguém que está doando seu tempo livre pra te ajudar –, não dá pra depender disso. Mais cedo ou mais tarde a pessoa vai acabar cansando de trabalhar de graça pra você, e aí você está na mesma situação de antes.

Aliás, uma situação pior que antes: depois que comecei a usar os thumbs feitos por esse broder — que eram muito bacanas, aliás, e me mostraram o quão mais bem produzido um vídeo fica quando você as usa –, acostumei os telespectadores àquele padrão de valores de produção. Parar de usar capinhas subitamente realçou a sua ausência muito mais do que se eu nunca as tivesse usado antes.

É tipo quando você vai se mudar e, com uma preguiça absurda de contribuir de forma tangível ao esforço da mudança, apenas tira os quadros da parede. E você não consegue deixar de notar que o cômodo em questão fica IMEDIATAMENTE esquisito. Aquele quadro já tinha sido assimilado no seu filtro mental de coisas que você vê mas nem percebe; tira-lo fez os alertas de estranheza dispararem.

Então. Decidi que se vou levar esse meu “trabalho” na internet a sério (invisto bastante energia e tempo à HBD Media, e sou ressarcido financeiramente em troca. Já posso chamar de “trabalho” ou é muita petulância?), eu não posso me dar ao luxo de faltar com valores de produção por “não saber mexer com esses negócios de edição de imagem“.

Não tenho Photoshop, e não gosto de usar software pirata. Felizmente, existe algo como o Pixlr Editor, uma xerox online do Photoshop que é bem cheio de features.

Comecei a fuçar no Pixlr, mexendo nisso e naquilo, aprendendo a usar as ferramentas. Outro leitor/telespectador (essa multimidialização do HBD tem como efeito colateral o fato de que não sei mais que termo usar pra alguém que acompanha meu trabalho), o Pedro Ortega, me mandou uns layouts bacanas pra padronizar a arte do canal de acordo com o programa — seja o HBDtv, Daily Vlog, ou Engrish Challenge.

E o resultado é que meus vídeos (antes sem capa e meio sem graça ao espectador novato) agora são assim:

Eu gostaria muito de poder me enganaar e julgar as capinhas um primor do design, mas estou perfeitamente ciente dos seus defeitos — esse é um dos problemas de ser perfeccionista com uma pitada de complexo de inferioridade: ninguém jamais será um crítico mais ferrenho de qualquer coisa que eu faça do que eu mesmo. Mesmo assim, o canal está 100% melhor do que estava há, digamos, um mês atrás.

Simplesmente porque decidi tomar as rédeas da parada e aprender a fazer aquilo do qual eu dependo diretamente. Decidi que o canal realmente ficava melhor com essas capinhas, e me perguntei “agora não tem mais ninguém pra fazer o negócio pra você. Vai voltar a deixar como estava antes? Você sabe que não tem mais como”.

Valeu a pena o esforço e o tempo gasto pra aprender a mexer com isso. Acho que a identidade visual dos vídeos é extremamente importante; é o motivo pelo qual me dou ao trabalho de criar uma capinha até mesmo pros vídeos do Daily Vlog — uma aparente contradição, já que essa série é “sem edição, sem firula, sem porra nenhuma”.

E thumbnail feito com um Photoshop online definitivamente configura como “firula”.

Mas fazer o que? Deixa a parede nua, sem quadros…?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

36 comments

  1. Olá izzy, também acho que as thumbnails dão outra cara para o canal pois atraem maior público já que mostram que o dono do canal é mais “profissional” e cuidadoso! Continue assim, e mesmo com esse programa citado que aparentemente é simples as “capinhas” estão muito boas ;D Sucesso.

  2. Puta, eu sou um campeão de procrastinar o que tenho de fazer, entre elas fazer coisas que eu dependo e dependo de alguém. Pelo menos hoje em dia tem a internet e os tutorias para aprender, só falta mesmo vergonha na cara!

    1. Verdade, hoje em dia o único inimigo é a falta de vontade(preguiça), na net tem inúmeros tutoriais para qualquer pessoa aprender, e nem adianta dizer que falta pessoas para tira duvidas, basta ir em qualquer forum que tem milhares de pessoas dispostas a ajudar.

  3. Acho que seria legal se você aceitasse uma produção de thumbnails e afins pelo pessoal designer de vez em quando (Caso se interessar, posso fazer algumas coisas!) mas não deixar de manter o padrão, mesmo que simples. Boa matéria, ilustra bem o comportamento que muitas vezes temos com relação à coisas que nos cercam.

  4. Porra, kid, porque tu não aprende a usar o GIMP?
    é um software GNU (licença pública) bem banaca, eu tenho uns amigos que mexe com essas paradas e eles falam que ele é ótimo, eu não manjo nem um pouco dessas coisas mas sei la…

    Acho que tu devia dar uma olhada.

  5. Massa Kid. Não tenho nenhuma experiencia parecida, mas deu pra entender o seu ponto!
    Concordo que as capinhas dão uma cara mais profissional ao canal e isso é legal

    PS: sim, se você já é ressarcido pode chamar de trabalho!

  6. Ficou bom até, Izzy. Ok, admito que as anteriores eram MUITO bem produzidas, o cara manjava muito, mas ok, essas ficaram boas. Quer uma dica? Baixe o programa “Paint.net”, é um Photoshop simplificado TOTALMENTE GRÁTIS!! Usava muito antigamente (antes de virar designer e depender 100% do Photoshop mesmo).

  7. Oi Izzy, quanto ao seu talento, não exagera na humildade. O seu talento é escrever. Você escreve textos de uma forma muito melhor do que a média da Internet, e tem persistência para isso. O mesmo se aplica aos vídeos que eu também acho bem legais.

    Quanto ao assunto do texto em si, às vezes vale a pena investir um pouco de $$ para essas atividades que você não manja muito para que possa se concentrar no que você faz de melhor (escrever e gravar vídeos). Olha o exemplo do Jovem Nerd por exemplo. Mas claro que isso depende de quanto você tá afim de gastar, o quanto você tá afim de aprender a mexer em editor de imagens e afins.

  8. Me lembro de ter visto você comentando no twitter sobre as thumbs. Pensei em sugerir exatamente o pixlr quando você disse que não queria nada pirata, quando reparei que já tinham recomendado. Faltam alguns recursos, mas pra esse tipo de coisa, atende muito bem!

    E as capas ficaram ótimas, não esquenta! Eu pessoalmente quase não as vejo porque assisto os vídeos pelo rss, mas que dá uma diferença grande, isso dá. A aparência de profissionalismo e dedicação com o trabalho é evidente.

  9. Capinhas de Breaking Bad e Ex- ateu? Não pode! são campeãs!

    O Photoshop tem um preço salgado mas encare como um investimento. Se tu quer aprender a fazer, faça!
    Vai sair uma marmotinha no começo mas é assim mesmo.
    E até ficar legal tem a galera que sempre te dá uma força, ne? 😉

    Ótimo texto!

  10. Saber se comunicar bem, falando ou escrevendo, é uma baita habilidade. Pode acreditar. 🙂
    Poucos tem essa capacidade.

  11. É isso mesmo kid, tem que aprender.
    Eu acho que se você se empenhar consegue viver de internet, seu conteúdo é muito bom. Você já pensou nisso??

  12. Izzy, para de se diminuir, tu é foda rapá. Você é o meu “produtor de conteúdo” preferido, eu até comecei a ouvir podcast(coisa que não conseguia ouvir) por sua causa…

  13. Pow Izzy, tu pelo menos tem um talento pra escrita cara, tem gente q nem isso tem.

    Sobre o thumbnails, fiquei feliz quando vi q tu começou a usar, acho q tu era o único q acompanho q não tinha.

    Continue o bom trabalho broder.

  14. Na boa?
    Agora vc nao pode mais dizer:
    Sem edição, sem filoura ( ñ sei se é assim), sem pohha nenhuma…
    Porque agora tem edição!
    Kkkkkk
    Sacanagem….
    Um abraço!

  15. Izzy, você dizer que não tem talento para algo é um total absurdo, já que a forma que escreve e fala são talentos que dispensam qualquer comentário, afinal, você tem a facilidade da comunicação, que é indispensável para chamar a atenção de um público independente qual seja.
    Eu como designer gráfico convivo com muitas pessoas que tratam essa profissão como se fosse a única que poderia ter algo a se tratar como talento, sendo que talento na verdade está voltado para a pessoa que faz algo muito bem independente do que seja, como um médico, um advogado, um mecânico e etc.
    Então, não fique frustrado com isso, continue fazendo o que sabe e o resto é consequência, pode crê?

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *