Quatro de Junho – Long Live Killdozer

Pra maioria de vocês, o dia de hoje não significa absolutamente nada. Pra pequena parcela de nerds que têm namoradas, quatro de junho simboliza aquela semana derradeira antes do dia dos namorados, um período de controle financeiro absoluto na tentativa de espremer alguns dinheiros do orçamento limitado a fim de comprar alguma bobagem qualquer – de última hora – pra parceira.

Entretanto, os mais bem informados entre nós sabem qual é a verdadeira importância do quatro de junho. Esta data será eternamente lembrada e celebrada como o dia em que um sujeito maluco e com as ferramentas certas ao seu alcance se transformou numa espécie de super vilão da vida real ou num ícone da luta do proletariado contra o sistema (dependendo das suas inclinações ideológicas).

Estou falando, é claro, do Killdozer. Que você não conhecia porque é um otaku de merda que passa 80% do seu tempo na internet lendo fanfics eróticas envolvendo personagens de Naruto. Mas fear not, tio Kid aqui vai te explicar a história.

Então tinha esse fulano, o tal do Marvin Heemeyer. O seu Heemeyer morava em Granby, no estado estadunidense de Colorado, e era dono de uma oficina mecânica na cidade.

Em 2001, um departamento qualquer da prefeitura que toma conta desse tipo de negócio decidiu que a área adjacente à oficina do seu Heemeyer seria usada pra construção de uma fábrica de cimento. O senhor Heemeyer, ao perceber que a fábrica meio que cobriria sua pequena oficina e seria péssimo pros negócios, lutou com a prefeitura incessantemente.

E perdeu em todas as instâncias. O Heemeyer se recusou a desistir e começou a coletar assinaturas de seus amigos e familiares, tentando através da petição mudar a idéia da prefeitura. Provando mais uma vez que esse lance de petições é um exercício tão eficiente quanto escrever uma carta ao papai Noel, o plano de Heemeyer falhou miseravelmente. Se o prefeito usou a petição como papel higiênico no mesmo dia em que a recebeu é algo que jamais saberemos, embora eu prefira acreditar que sim.

Sem qualquer alternativa e mais puto do que eu ou você jamais estivemos nessa vida, o seu Heemeyer chutou o pau da barraca. O cara vendeu seu negócio e seu terreno, e passou os próximos seis meses trancafiado na sua oficina construindo a mais vilanesca e cartunesca ferramenta de destruição jamais concebida pela humanidade.

A aterrorizante imagem que você vê acima é o que acontece quando você soma raiva incomensurável + um trator Komatsu D355A + um bocado de metal e concreto. Heemeyer havia decidido que a prefeitura havia acabado com a vida dele, então o lógico passo seguinte seria arrastar toda a cidade pro inferno com ele.

O mecânico passou meses e meses projetando sua máquina de destruição e horror, e ele não deixou nada ao acaso – Heemeyer equipou o trator (que ele havia comprado dois anos antes pra renovar sua oficina) com placas de metal e concreto de vários centímetros de espessura. Além disso, ele também instalou várias câmeras e circuitos de TV que o conferiam 360 graus de visibilidade dentro da cabine do trator, um sistema de purificação de ar, e até mesmo geringonças que disparavam ar comprimido pra manter a linha de visão das câmeras desobstruída de entulhos.

E antes que você pense “mas era só atirar nas câmeras então”, do alto da sua experiência de sniperagem em Battlefront 2, as próprias câmeras eram protegidas em caixas de acrílico a prova de balas de 3 polegadas de grossura. O maluco havia pensado em tudo.

Ah, quase esqueci – ele também tinha ao seu dispor um arsenal de armas automáticas e pistolas. ele havia até tido o cuidado e deixar frestas na armadura do tanque, por onde ele poderia atirar.

No dia fatídico, Heemeyer entrou no seu tanque de guerra improvisado e, mostrando que ele tinha 4 ou 5 culhões, soldou a porta de entrada por dentro. O cumpadi estava plenamente decidido a morrer dentro da sua monstruosidade de metal e concreto.

O trator-tanque (que a mídia apelildou de Killdozer) explodiu pra fora da oficina da forma mais espetacular possível: o sujeito simplesmente passou por cima da parede lateral do prédio com o trator. E dali em diante saiu passando por cima de qualquer outra coisa no seu caminho.

Heemeyer destruiu o prédio da prefeitura, o prédio do corpo de bombeiros, a casa da viúva do juíz que havia dado a vitória ao outro lado da disputa, a sede de um jornaleco qualquer que havia impresso um editorial criticando sua luta contra os poderes da cidade, a loja de um sujeitinho que aparentemente havia olhado-o de mal jeito e incontáveis veículos que estavam tranquilamente estacionados nas redondezas.

No final das contas, 13 prédios foram destruídos causando um total de mais de US$7 milhões em danos. É possível que Heemeyer teria escalado pra fora do Killdozer e pessoalmente peidado nas faces de todas as pessoas que ele acreditava terem fodido-o, se ele não tivesse se selado permanentemente dentro do trator.

E enquanto isso, a polícia e a Guarda Nacional assistiam o espetáculo com impotência. As autoridades perceberam rapidamente que nada mais fraco que armas contra veículos blindados seria capaz de sequer fazer cócegas no imponente Killdozer. Um dos tiras chegou a jogar uma flashbang no escapamento do trator, sem resultados. Killdozer kept killdozing.

Quando os polícias decidiram tentar escalar o monstro metálico e concretálico pra extermina-lo a la Shadow of the Colossus, adivinha – os caras descobriram que o mecânico havia até mesmo bezuntado o exterior da armadura com óleo, pra impedir justamente esse tipo de manobra.

Felizmente vivemos na Era da Informação e a espetacular destruição causada pelo Killdozer está prontamente disponível a desocupados ao redor do mundo inteiro.

Pra tornar a coisa mais hilariante ainda, vale lembrar que em determinado momento o desespero foi tamanho que a turma resolveu enviar outro trator pra pelejar contra o Killdozer, na esperança de impedir o plano de destruição do Heemeyer. No subsequente combate de máquinas que foi a coisa mais próxima de Transformers na vida real que jamais testemunharemos, Killdozer saiu vencedor.

Quando os policiais finalmente decidiram apelar pra armas anti-tanque, alguém com bom senso (ou falta de senso de diversão) alertou-os pro perigo de que as explosões contra o tanque poderiam esculhambar a cidade mais do que o próprio tanque. Os caras estavam sem esperança e parecia que a cidade inteira estava sem salvação da fúria destrutiva de Heemeyer.

A saga de Killdozer veio a um fim abrupto quando uma das esteiras do trator caiu no vão criado pelo porão de um dos prédios que Heemeyer tentava derrubar, e com isso o trator ficou imóvel. O motor da parada, já cansado de tanta destruição, começou a falhar também. Os policiais viram nisso sua oportunidade de se aproximar do Killdozer pra bolar uma forma de desabilitar a máquina.

E subitamente, ouviram um único tiro vindo de dentro da cabine do trator. Instantaneamente, eles sabiam do que se tratava – Heemeyer havia se matado.

Doze horas depois, as autoridades conseguiram cortar a armadura do trator e verificar o total comprometimento do Heemeyer ao seu plano de destruição. O Killdozer estava recheado com várias armas, munição, comida e água pra vários dias. O fato de que Heemeyer havia se lacrado dentro do trator não deixava dúvida alguma em relação ao seu plano de morrer e arrastar boa parte da cidade junto com ele.

Cinco anos atrás, Marvin Heemeyer fincou o pé no chão e essencialmente falou “fodam-se todos vocês” com estilo e comprometimento inéditos. Seu legado viverá para sempre.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

140 comments

  1. Foda demais essa do Killdozer, vi um pedaço de documentário no Discovery sobre essa cara.. espetacular!
    Fiquei mesmo impressionado, o “tanque” que ele montou na própria garagem deve ser melhor que os tanques da FAB hahaha
    Em resumo, o que eu faço xitando no GTA, ele fez de verdade. Tem meu respeito!

  2. Cara! Incrível a história! Nunca tinha ouvido falar (fanfic demais, quem sabe xD) mas fiquei arrepiado aqui…a que ponto o desespero e a raiva pode levar alguem…Valeu Kid!

  3. Caralho, há muito não ria com um texto teu!
    Parabéns. História magnífica realmente. É a fúria humana, nunca duvidem.

    Abraço

  4. Caramba, nunca tinha ouvido falar deste maluco.
    Gostei da historia, impressionante como alguem pode chegar as ultimas consequencias…e de como nunca ouvi falar disto aqui no Brasil.
    Vlw

  5. já passou varias vezes no discovery
    é muito sinistro o cara passar por cima de tudo
    só falto a parte em que um outro cara tentou para ele com outro trator só que ele passou direto

  6. Dia de fúria da vida real -- só que parece muito mais ficção. Lembro de ter saído no Jornal Nacional. Podiam ter feito um filmeco né? Ia ser todo mundo torcendo pro louco varrer a cidade. Neste país onde idolatram serial killers, não sei como nao fizeram também um dia nacional do killdozer e uma especie de campeonato, com réplicas e um circuito de destruição, tipo aqueles de BigFoot.
    Izzy, Pop Culture na veia. THX!

  7. Pow, se no resgate do soldado ryan os caras paravam o tanque com uma bomba feita de MEIA, como é que esses policiais bundões aí não conseguiram? Não dava pra jogar um explosivo qualquer (aparece uns caras estilo swat no video) na esteira do trator?

  8. KILLDOZERRRRRR! XO

    Eu sabia que tinha ouvido esse nome antes. É incrível o que um sujeito emputecido é capaz de fazer com as ferramentas certas.

    “Long Live, Killdozer!”

  9. @voyage

    Você precisa aprender a interpretar textos, amiguim!

    O que eu quis dizer é que alguém ouvindo a história hoje diria, com suposta expertise militar, que bastaria ter dado um tiro nas câmeras e pronto, problema resolvido. Não é tão simples assim.

    E a galhofa do texto residia justamente em ironizar a origem de tal habilidade atiradora como proveniente de um joguinho eletrônico.

    Releia a frase, editada pra realçar a mensagem central. Grifo meu, pra deixar a idéia ainda mais clara:

    “E antes que você pense do alto (…) da sua experiência de sniperagem em Battlefront 2…”

    Deu pra entender que a frase se refere ao hipotético leitor, e não a alguém que esteve lá presenciando o negócio em 2004? 🙂

  10. Sensacional! Esse é o velho Kid!
    Minha esperança que você volte ao projeto de publicar a continuação da postagem sobre Médicos carniceiros se renovou!
    Valeu até indicação do Inagaki! Pqp!

    Parabéns Izzy! Dia 4 de Junho ficará também conhecido com o dia em que o Kid voltou a dar uma atenção cuidadosa e demorada a seu blogue.

    Abração
    Gabriel Dread

  11. olha só.
    um dia desses tava vendo na tv imagens do killdozer e a narração do programa passava a impressão que os policiais tinham conseguido atirar nele por alguma fresta. o cara se matou, claro! faz muito mais sentido por toda a história de raiva.
    muito bom. valeu pelo texto, kid.

  12. Ainda acho que uma granada na esteira ia fazer ele pelo menos parar…

    a idéia do buraco é boa, cavasse uma trincheira e chamava ele pra armadilha…

    tinha óleo no teto? bota fogo lá!

    Sei não, mas deu vontade e bolas pra ser o xerife da cidade (risos).

    Ando vendo Metal Gear demais..

  13. Cara descobri o seu blog hoje e vc acabou de ganhar mais um leitor !! mto bom ele !!

    E sobre o Killdozer…
    Poderia ser um veículo de Twistd Metal ! já tem nome do veículo, do piloto e história ! PErfeito !!

  14. Me lembra muito aquele trator do twisted metal, deu até nostalgia. Btw, gostei da história, acho que 4 ou 5 culhões é pouco pro tanto que esse cara foi estiloso. Ótimo post.

  15. @ Raph4:
    concordando com o “Mingau_di_mixirica:”

    putaqueopariu. Eu sempre soube que tanques pertenciam ao exercito, a não ser que a FORCA AEREA BRASILEIRA esteja usando tanques para voar, ai é FODAA ninguem segura. hehe
    muito bom esse post parabens

  16. Puta que o pariu kid, isso eu tinha vontade de fazer em Brasilia. o foda é que lá tem vários tanques! e caças 🙁

    subir no tanque a lá shadow of the colossos foi hilário d+!

  17. O Heemeyer fez o Michael Douglas de “Dia de Fúria” parecer um trombadinha do Cidade de Deus. Exemplo do cidadão que ficou puto e fez justiça, mandando um ‘foda-se’ com muito estilo.

  18. Cinco anos atrás, Marvin Heemeyer fincou o pé no chão e essencialmente falou “fodam-se todos vocês” com estilo e comprometimento inéditos. Seu legado viverá para sempre.

    amém.

  19. Cara essa historia foi fodastica!!o cara fez na vida real oq neguin ainda não consegue faser no GTA !!XD
    kkkkkkkkkkkk sem zuera…a policia deve ter adorado não ter uma bazuka em mãos.kkkkkkk

  20. Aliás, dando um palpite totalmente leigo:
    Sempre pensei que o ponto fraco de qualquer tipo de tanque fosse justamente as esteiras. Não seria esperto se a polícia tentasse arrebentar as esteiras logo de cara, com algum explosivo??

  21. Já conhecia essa história, mas nunca é demais relembrá-la.
    Tanto que este artigo ficou tão bem feito que repassarei pra todo mundo que conheço.

  22. No Brasil não daria certo.
    A polícia não seria tão “inteligente” assim.
    Metiam granada e “míssel” no trator de esteria. E foda-se quem estivesse próximo.

  23. Esse cara foi burro, ao invés de ficar 6 meses montando um tanque, ele poderia ter ficado 6 meses comprando/fazendo explosivos e plantando pela cidade. Podia até ter comprado um míssil tomahawk, já acharam um numa favela brasileira, porque não?

    Foi só eu que achei o cara um imbecil e não um “herói”?

  24. @Hawk
    É mas pra isso iam precisar pedir essas granadas e misseis emprestados dos traficantes né!??!
    Porque na republica de bananas os pobres pm´s mal tem um 38 que funcione

  25. O sentimento é de “extremo orgulho” por ele ter feito o que muitos gostariam de fazer diante de tanta filhadaputagem.
    Canonizemos o indivíduo!
    Descanse em paz!

  26. simplesmente o cara é o cara,eu faria o mesmo,ou melhor…eu tentaria x)
    e sem esquecer q ele é meu xará!!!

  27. Falando em “coisas de herois e vilões”, esse cara merecia um cartoon dos 80, KILLDOZERs em Ação

    Tem um cara aqui que fez uma versão do watchmen nesse estilo, muito legal.

    rel="nofollow">

  28. Pingback: Fim de semana, é? de novo? « Imaginador
  29. Nossa nem lembrava dessa história, devo ter ouvido vagamente, afinal para rede bobo de noticias os EUA eram perfeitos…agora a India, ROFL! Q merda!
    Esse nego do Killdozer deve ser um dos melhores,e mais insanos, exemplos do “Stick it to the man!”
    Doidera essa coisa!
    Morri de rir com “Provando mais uma vez que esse lance de petições é um exercício tão eficiente quanto escrever uma carta ao papai Noel”

  30. Se esse xerife estivesse na cidade, não ia ser necessário nenhum explosivo…

    rel="nofollow">

    Bob Munden é fantástico… o cara atira várias vezes no mesmo lugar.. será que algum blindado suporta isso?

    Fora que bastasse ele acertar de longe em algum buraco do Killdozer…

  31. PQP foda!Se essa moda se espalhasse pelo brasil ia ser um todo dia!jornal finalmente teria algo sem ser bunda,ladrões+ladrões,acidentes envolvedo bêbados!

  32. eu ja conhecia essa historia
    esse cara é foda
    mas isso é o que acontece quando se deixa puto, muito puto, mas muito MUITO PUTO, um cara legal

  33. Taí uma boa idéia a ser seguida pelo cidadão brasileiro!
    A gente copia tanta coisa do jeito americano de viver!
    (Já viram a novela Paraíso da Rede Globo? Lá não tem música caipira! Só música country!
    Imagina só pegar um tratorzão desses e atropelar o congresso brasileiro! O prédio do Supremo Tribunal! Passar em cima do Daniel Dantas!No shopping da Daslú!Em cima do palácio do Governador! Do Prefeito…! He,He,he, é só as “otoridades” políticas pisarem na bola…e lá vem o tratorzão!! Demais!

  34. Kid viado casa com americana, consegue green card e fica ai destruindo a casa dos americanos só por ser imigrante.

  35. Pingback: Pensamentos Randômicos » Killdozer
  36. Uma bela história. Já conhecia, mas é sempre empolgante ouvir (ler) sob vários pontos de vista.
    Onde está Hollywood que ainda não transformou isto em longa? E aproveitando a liberdade poética, bem que poderiam deizar o “nosso herói” vivo no final

  37. Meu pai te um trator pau véio que ninguem quer comprar, sabe que Killdozer Brazilian Kick Ass Time seria um bom titulo para ele

  38. Voltei com a idéia, mas alguém aqui quer fazer um bichinho desses para rodar em Brasília? A gente podia por na fuselagem “Killdozer II” =D

  39. Há duas coisas nesse mundo que são infinitas.O universo e a ignorância humana.Considerando que eu não tenho muita certeza da primeira.

    Albert Einstein

    Einstein esqueceu de citar a fúria humana.

  40. Precisamos de um desses em Brasólia…

    Muito firme a parte… No subsequente combate de máquinas que foi a coisa mais próxima de Transformers na vida real que jamais testemunharemos, Killdozer saiu vencedor.

    Fico imaginando o combate…

  41. Ainda bem que o MOTÓRA era o Marvin Heemeyer, ja imaginou se fosse o RUBINHO PÉ DE CHINELO?? Caralho! juro pra vo6 que mau-mau tinha caido a parede da garagem e o tanque ja tinha quebrado o motor, ou a suspensao, ou dado pane eletrica, hidraulica… enfim, coisas bem alá Barrichello huahuahuahuahuahua
    Anyway (just for the records)se nao quebrasse levaria 2 voltas de alguma tortuga fugitiva do zoo local. :/
    Brasil-sil-sil-sil-sillllllll

  42. Já conhecia a história e o video, mas nem me lembrava direito da história. É sempre bom relembrar essas histórias!

  43. nussa mano fikei di cara o.o

    o cara é o filho do chuck?
    os Brasileiros deviam ter uma determinação como essa… (mas sem destruir tá =D)
    o cara já ganho um fã o//

  44. Pingback: Fabio Buss
  45. Pingback: Daniel Brito
  46. Pingback: Diogo Fernandes
  47. Pingback: Matheus Bertini
  48. Pingback: Propileu
  49. Pingback: Eduardo Brandalise
  50. Pingback: Alexandre De Nadal
  51. HAUHSUAHSAHS
    cara que história FANTAAASTICA! D:
    a inteligencia e a mentizinha vingativa desse cara me impressinaram!
    pena o killdozer ter sucumbido tão cedo, queria saber o que teria acontecido depois dele conseguir foder a cidade toda. mas enfim;
    PUTZ…jogo de interesses, luta judicial, proletariado fudido planejando vingança contra o alto escalão, meses trabalhando hard numa maquina tecnologicamente mortífera, um acesso desvairado de raiva de mandar tudo tomar no cu e finalmente um suicídio após realização do intento, problemas tecnicos e possivel chance de ser pego.
    puta merda, isso daria um roteiro de filme SUUPER FODA cara! *-*
    *imaginando a trilha sonora*

    HAHAAHHAH

  52. Pingback: Samir Machado
  53. Pingback: Mauricio Zanella
  54. Pingback: Lucas Arantes
  55. Acima de tudo ele foi muito corajoso.
    Infelizmente a máquina parou cedo, pq esse governo maldito merecia muito mais. Eles mandam, fazem o que querem contra o cidadão e ñ podemos opinar ou mudar nada. Só assim mesmo pra chamar a atenção do mundo, esse sistema capitalista e ambicioso do caralho.

    Marvin Heemeyer, parabéns para você onde estiver !!!

  56. eu ja tava me perguntando se o cara tava preso até hoje. juro que não me dei conta que ele ia ter que morrer la dentro mesmo
    oh! gloria

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *