Review: Convertible Magazine Jacket da InCase

Ok, este é mais um texto sobre o iPad. Não exatamente sobre o iPad em si, mas tem a ver com ele. É o ÚLTIMO nesse mês, eu prometo. Tá bom?

Aliás, porque diabos eu estou me desculpando? Este é o meu blog caralho, eu escrevo sobre o que eu quiser. Vão se foder.

Onde eu estava mesmo? Ah sim: Queridos amiguinhos, como é de conhecimento dos senhores, estou indo ao Brasil em poucas semanas — aliás, uma semana e dois dias pra ser exato. E será minha primeira viagem com o iPad.

Estou animado pra usar o iPad fora do cativeiro, mas algo me incomodava — eu nunca fui muito fã do case oficial da Apple. Ele é o menos pior dos cases, mas isso significa apenas que os outros são tão porcaria que o da Apple magicamente parece melhor do que realmente é por mera comparação.

Aí eu tava lá browseando vagabundamente o fórum SA,  quando vi um cara lá recomendando um case. Tópicos de iPad/iPhone, em qualquer fórum, sempre retornam ao assunto “qual é o melhor case?”. Como eu detesto usar cases no iPhone e já estava acostumado à do iPad, tenho um filtro mental pra essas discussões. Geralmente eu só as pulo.

Entretanto, estou feliz por não ter pulado esta.

O case que o colega recomendava era a Convertible Magazine Jacket, da InCase. Logo de cara, gostei muito da aparência da case — odeio ficar repetindo termos mas não existe sinônimo pra “case”, eu acho –, o que fez a minha da Apple parecer tosca. E olha, é difícil um produto de third parties fazer o oficial da Apple parecer vagabundo.

Li algumas resenhas e me convenci: preciso comprar esse case.

Eu já precisava de uma desculpa pra ir ao shopping — meu cabelo estava fugindo do meu controle — e aproveitei pra passar na Apple Store. Rapidinho achei a case.

Comprei sem vacilar e corri pros sofás (uma dádiva dos designers dos shoppings aos maridos cansados) pra fazer o transplante. Em poucos minutos de uso, eu já tinha uma opinião definitiva sobre o case: excelente, porém não sem suas falhas — e ainda assim, consideramente melhor que o case oficial da Apple.

Fechada, a case é bem bonita. A textura é mais lisa do que a da case da Apple, que é um pouco porosa, lembra um pouco camurça aliás.

Surpreendentemente, essa é a única case de terceiros que vi até hoje que não torna o iPad 3 vezes mais grosso. Isso por si só é um plus.

Pera, cadê o case?

Quando você abre a parada, se torna notável a grande vantagem dela sobre o case oficial da Apple: a da InCase é quase invisível.

O iPad fica afixado na case por meio dessas travinhas nos cantos. Ele encaixa nelas (e encaixa BEM, precisa fazer força pra soltar), e quando você dobra a capa pra trás, o “footprint” da case é quase nulo. É como se você nem estivesse usando.

Isso foi uma grande vantagem. A case do iPad, em comparação, deixa o iPad bem feinho:

Pode parecer insignificante numa foto, mas os donos de iPads concordarão que o case enfeia a parada. Aliás, o próprio Steve Jobs admite isso, tanto é que o iPad 2 não tem um case, e sim apenas uma capinha. Nas palavras do cara: “a gente bola um aparelho tão bonito e aí esconde ele com uma capa… não era a melhor idéia“.

E tem outro detalhe: Você tá vendo essa “borda” ao redor da case oficial? Nesta foto ela aparece melhor:

Então. Teoriza-se nos fóruns por aí que essa borda é análoga à crumple zone num carro; o propósito é aparentemente ajudar a absorver o impacto duma queda. Acontece que porra, um iPad não é uma caneta esferográfica. Quem realmente anda por aí derrubando o tablet?

Sem contar que a case oficial, por causa da sua textura, acumula muita sujeira. E essas dobras que cobrem as extremidades do tablet e o seguram acabam acumulando poeira também, te obrigando a ocasionalmente remover o iPad pra limpa-lo. E sempre que você faz isso, você pensa “wow, eu tinha esquecido que essa porra era tão bonita!”.

Em outras palavras: a case da Apple deixa o seu iPad muito feio e sujo.

A case da InCase, por outro lado, não tem essa borda feia, ou a dobra que coleciona mais poeira e fiados que seu umbigo.

Olhaí como é bonito:

Como você pode ter notado, a capa da case também dobra como a Smart Cover do iPad 2. Isso permite 3 posições diferentes — essa que você vê na foto, ideal pra digitar, uma similar porém um pouco mais “alta”, e a posição pra ver filmes:

Pra manter a posição da case, a dobra da capinha pressiona contra duas protuberâncias na traseira da case. Tais protuberâncias foram o que menos gostei em relação ao case, aliás — elas roubam um pouco do estilo minimalista e limpo da parada, mas são um mal necessário que possibilita as posições diferentes.

Uma coisa que eu gostei é que o ângulo de inclinação que a InCase proporciona ao iPad quando este está “em pé” é mais agudo que o da case oficial. Com a oficial da Apple, o iPad fica perigosamente perto dos 90 graus em relação à superfície onde você o coloca.

Qualquer perturbaçãozinha e o iPad inclina pra frente e tomba na sua mesa, algo que aconteceu comigo algumas vezes. A InCase, por outro lado, deixa o iPad mais inclinado pra trás, numa posição mais estável.

Outra coisa que não gostei na InCase — e que felizmente é consertável com poucos segundos — é essa tira elástica que ela traz, pra segurar a capa. Você deve ter notado naquela foto que o sujeito postou no fórum. E deve ter notado também a ausência dela nas MINHAS fotos.

É o seguinte — eu suspeito que a tal é mais um detalhe estilístico do que realmente funcional. Não há uma grande necessidade de prender a capa justinha ao tablet; eu suspeito que o uso dela é pra tornar o case visualmente similar àqueles caderninhos de hipsters de Starbucks, os moleskines. Sem contar que é um saco ficar constantemente passando a tira pra frente e pra trás.

Nem pensei duas vezes — arranquei a tira da minha. A única evidência de que a tira jamais esteve lá são duas pequenas aberturas retangulares de 1mm de largura na traseira da case, que é por onde elas passavam.

Pros: Fina, leve, bonita. As dobras na capa a tornam mais funcional que o case oficial da Apple. Não tem aquelas bordas feias da case oficial. Usar o case muitas vezes feels like usar o iPad pelado, o que é excelente.

Cons: Os dois calombos na parte traseira, embora funcionais — certamente mais do que aquela crumple zone da case oficial –, são bastante feios. E essa tira moleskine-style é horrível, a menos que você seja um hipster douchebag.

Resumindo: a InCase Convertible Magazine Jacket é mais bonita E funcional que a case oficial da Apple, o que é um espanto considerando a notoriedade da empresa de Cupertino em seu aprazo por bom design. Ela me custou CAD$ 54 (mais ou menos 91 reais, mais os impostos que não são inclusos na etiqueta — essa é uma prática gringa), e pode ser comprada no site da fabricante (esse preço aí é em dólar americano, não esqueça).

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

24 comments

  1. Otimo review, estava pensando em comprar um case oficial, ou outra similar, quando vi essa nao pensei duas vezes, estou decidido em comprar essa, e pelo preço tambem, vale a pena. Obrigado! #CadeoHBDTV ?

  2. Vc tambem podia fazer um review caprichado como esse pra Addons do Iphone 4, ne? =D
    Como recomendação de case ou de expansor de bateria, que eu sei que vc usava/usa

  3. pow, pelo que entendi, tem umas cases aih que elas não protegem a tela de arranhões NEM de tombos, e muito menos dão a posição vertical que o cover do ipad2 trás, então pra que raios servem essas cases genéricas, ou capinhas?

  4. Kid, vc resumiu tudo o que sinto sobre meu iPad. Tenho a case da Apple e acho feia demais, nem sei bem porque comprei. Quando tiro o iPad da capa, digo a mesma coisa: “wow, eu tinha esquecido que essa porra era tão bonita!”.

  5. Sério véi? O lançamento do iPad dois mostrou esse case e vc não viu?
    Na hora que mostrou eu pirei pras possibilidades de posições pra deixar a bagaça, muito bom mesmo.

  6. Aliás, porque diabos eu estou me desculpando? Este é o meu blog caralho, eu escrevo sobre o que eu quiser. Vão se foder.

    pq tu so fala dessa merda

  7. Grande Kid, leio o seu blog há muito tempo, muito mesmo, mas, igual vários leitores, sou mais uma anônimo no blog.

    Só uma dica mesmo, no começo do post você mencionou que não gosta muito de ficar repetindo palavras ao longo do que você escreve, mas que não sabia nenhum sinônimo para case. Não tenho um sinônimo, mas uma sugestão. Simplesmente deixe implícito, assim que começamos a ler o texto já sabíamos sobre o que ele tratava, portanto não havia necessidade de repetir o termo umas 30 vezes ao longo do post. Um exemplo do que eu falei:

    “Em poucos minutos de uso, eu já tinha uma opinião definitiva sobre o case: excelente, porém não sem suas falhas — e ainda assim, consideramente melhor que o case oficial da Apple.”

    Podia ficar assim:

    “Em poucos minutos de uso, eu já tinha uma opinião definitiva sobre o case: excelente, porém não sem suas falhas — e ainda assim, consideramente melhor que o oficial da Apple.” -- Apenas retirei a palavra case na última linha, o entendimento permaneceu o mesmo.

    Mais um exemplo

    “Fechada, a case é bem bonita. A textura é mais lisa do que a da case da Apple, que é um pouco porosa, lembra um pouco camurça aliás.”

    Sugestão

    “Fechada, a case é bem bonita. A textura é mais lisa do que a da da Apple, que é um pouco porosa, lembra um pouco camurça aliás.

    Daria pra citar vários exemplos no seu texto, mas basta você ler e sair deletando a palavra que verás que a maioria delas está repetida desnecessariamente.

    Grande abraço,
    Flávio

  8. Pingback: Bate Tech Papo

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *