Só tenho uma única certeza nessa vida inteira: meu filho terá um carrinho motorizado

Lembram de Carrossel, né? Tem uma cambada de guris imberbes de 16-17 anos lendo esta bosta de site, então num interesse didático, explico para vocês.

Carrossel era uma novelinha mexicana que passou no SBT no comecinho dos anos 90. Tou ligado que o SBT fez um remake que sem dúvida nossa nostalgia pela série original impedirá de considerar com boa vontade. Só que eu tenho um real argumento contra o Carrossel nacional: o remake provavelmente não terá aquele artefato que mais captivou minha cobiça infantil.

Este era Jorge Delsalto, o riquinho filho da puta obrigatório da narrativa maniqueísta do programa (ricos são filhos da puta, pobres são bons de coração e com bússola moral  bem orientada). Dá pra entender o porque dessa mentalidade, afinal de contas — em países fodidos como o México, o sentimento de repúdio a pessoas bem sucedidas é comum.

É uma das muitas outras similaridades culturais que permitiram que a série se tornasse um crossover hit — o termo, geralmente usado no contexto musical, refere-se a produções que alcançaram sucesso longe da terra natal. Odeio esses inserts didáticos a la redação do G1 mas há burros lendo esta merda, fazer o que.

Então. Jorge Delsalto tinha essa mini-Mercedes que você vê na imagem acima, que ele usava para esnobar os coleguinhas “favelados” na escola. Os produtores da parada acertaram em cheio, porque um moleque com um carro “de verdade” é de fato uma excelente forma de ilustra-lo como muito além do nosso nível financeiro.

Então. Eu — e provavelmente você também — fiquei maravilhado com a idéia daquele carro. Quando moleque, tive a versão “low budget pé rapado”: um carro de F1 com pedais, possivelmente produto licenciado do Senna aliás. Não chegava nem perto do carrinho motorizado do Jorge Delsalto!

Aliás, seria elétrico ou a gasolina? Provavelmente elétrico, né. Manjo nada de porra nenhuma mas creio que funcionar com um motor de combustão o enquadraria como veículo automotivo  e tal, enquanto a versão elétrica é basicamente um grande carro de controle remoto. Funciona assim no Canadá — por exemplo, uma scooter movida a gasolina requer carteira de habilitação, seguro, etc e o caralho, enquanto uma versão elétrica é vista pela lei como uma bicicleta.

Enfim. No estado em que me encontro — casado, com meu primeiro emprego “de verdade” em toda a minha vida –, a idéia de ter um filho não é mais tão distante quanto era em, sei lá, 2005. E por isso estive pensando no negócio da Mercedes do Jorge Delsalto.

E decidi que, não importa o que, meu filho terá um carrinho equivalente.

Já comecei até a ver os preços, sério. Encontrei isto aqui:

Custa 400 paus, e funciona graças a uma bateria 12v. Sem dúvida o moleque seria o mais popular do bairro se ele aparece na turminha de amigos com um negoc…

PARA TUDO OLHA ISSO AQUI:

Como os estimados amigos sabem, o carro que pretendo comprar é um Mustang. Um Mustang 2013 0km — que não é meu modelo favorito, mas enfim — custa 22 mil dólares canadenses, um preço que é quase um tapa de piroca mole na cara do nosso povo brasileiro que paga trinta mil reais num Gol 1.0 capa da G Magazine (ou seja, pelado) com vidro movido a manivela.

E o quão FODA seria se o moleque tivesse o mesmo carro que eu?! Já consigo até imaginar a futura capa do meu Facebook — meu Mustang, e o do Izzy Junior estacionado do lado, ambos de óculos escuros e com braços cruzados, olhando desafiadoramente para o horizonte.

Izzy Junior vai pegar mulher desde cedo

Não importa o que eu faça como pai, minha missão é dar um mini-Mustang pra esse moleque.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

68 comments

      1. Acho que ele estava falando da legenda da imagem: “Izzy Junior vai pegar mulher desde cedo”.
        Antes que comecem o mimimi, não estou concordando com o que foi digo (nem discordando).

        1. Se os gays tem no fundo a vontade de serem mulheres, eles não podem dirigir bem. Eles TENTAM dirigir, e pára por aí.
          Dirigir, pilotar, manobrar qualquer coisa que tenha motor e rodas é serviço de HOMEM. Mulher não consegue por questões fisiopsicológicas, mesmo. É o mesmo que pedir a um elefante para subir em uma árvore. Não dá. Cada um na sua.

  1. Na novelinha de agora o Jorge também tem um carro, mas não é um mercedes e sim um jipinho, uma pegada mais esportiva. O problema é que o Cirilo mexicano ganhou um carro equivlente, já o brasileiro ganhou um patinete motorizado. Não teve a cena da disputa entre os dois.

    1. O Cirilo mexicano também ganhou um patinete e, assim como no brasileiro, ele também sumiu misteriosamente algum tempo depois.

      O carro do Cirilo mexicano foi comprado depois que o pai dele ganhou na loteria, próximo ao final da novela. Ainda há chances de que isso ocorra no brasileiro.

  2. Brasileirentos mimizentos reclamarão loucamente pelo tapa de piroca mole (ou não, vai que tem uns que curtem).

    O que eu sei de certeza é que, pelo menos de carro tu entende bem. E ficaria foda tu e o moleque em seus respectivos Mustangs.

    Só vamos torcer pro teu futuro pivete não curtir pirombas…

  3. Fala Izzy!
    Acompanho todo capítulo do Carrosel atual desde o primeiro dia com a minha filha. Passada aquela natural “má vontade” tem sido uma experiência única reviver a nostalgia e compartilhar com minha pequena de 6 aninhos…

    Quanto ao almofadinha do Jorge Delsalto, na versão atual ele virou Jorge Cavalieri, e seu carrinho atual é nada mais nada menos do que um “mini buggy” amarelo que nada lembra o status do “carrão” que ele tinha na versão mexicana. Estava curioso pra chegar esse episódio e fiquei decepecionado.

    lembra que o Cirilo precisava da figurinha rara do Pelé pra completar a coleção, na atual a figurinha rara foi do cafú e o prêmio foi um patinete (Pois é, depois falam q a gente é nostálgico mas os caras não ajudam powwww! kkkk.)

    Abraços e 99 vidas pra vc!

  4. Minha filha assiste essa novela e o riquinho lá tem o carrinho elétrico também, mas logicamente não é esse modelo, é um mais atual. Na verdade é mais pra jipe do que realmente um carro.

  5. sou um pé rapado e chinelão… meu filho (que já é nascido) vai andar de bike e era isso… no máximo vamos colocar uma tampa de margarina nos raios da bicicleta pra fingir que é moto… quem nunca?

  6. Meus pais não tinham grana pra me dar brinquedos assim mas havia uma tia (sempre há!) que me trazia coisas incríveis dos Istêites! E isso em 77, qdo da minha infância. Imagina brinquedos importados no Ceará em 1977!!! Agora a parte engraçada é que eu tava nem aí pros trecos. Gostava era de correr na rua e brincar de pega-pega c/ os meninos. As minhas amiguinhas é que aproveitavam meus brinquedos caros!

    Eu simplesmente VISUALIZEI a foto do Izzy Jr de óculos escuros hahaha
    Quando é que sai, hein?

  7. “em países fodidos como o México, o sentimento de repúdio a pessoas bem sucedidas é comum.”

    Sem comentários. Teria vergonha de mim mesmo ao passar este tipo de informação, mesmo que na brincadeira.

  8. Após explicações tão boas me sinto obrigado a comprar um pro meu futuro filho também.

    Mas falae Izzy, quando vai comprar o Mustang?

  9. Me lembro de um post em que o Izzy falava que nao queria ter filhos muito cedo. Será que o emprego de verdade mudou a opniao?

  10. Lembro que quando eu era pequeno, também era louco por esses carrinhos motorizados, lembro que implorava pra minha mãe me dar um. Ai um dia ganhei finalmente um, mas era a versão “low budget pé rapado”, daqueles movido a pedal mesmo, mas eu adorava.

    Era uma BMW Azul, achava sensacional, tinha espelhos retrovisor (que eram adesivos metalizados vagabundos colados que não refletiam nada) e uma buzina que parecia um pato de borracha, mas eu adorava.

    Lembro que um dia, estava com meu pai numa gráfica de um amigo dele e tinha vários daqueles adesivos-plásticos de nome de carro, ai eu queria um pra colocar na minha BMW, pra dar a sensação de um carro real. Acabei pegando o adesivo de um Pálio e colei na BMW. Virei motivo de chacota entre meus parentes, mas eu gostava.

    Como queria que meus pais tivessem guardado esse carrinho até hoje. Meu filho terá um carrinho motorizado também.

  11. Mustang como unico carro? Nao recomendo, ele tem tracao traseira e ela eh muito leve para andar na neve. Os meus amigos que possuem mustang em quebec city deixam o carro parado no inverno. Mas se vai comprar, deu uma olhada no concorrente? O Camaro?

  12. Eu tive um jipe desses quando era criança. Ganhei num natal, não lembro o ano. Com certeza foi um dos brinquedos mais fodas que já tive! O foda era ter que esperar a bateria carregar por 12 horas.

  13. Eu não acho o preço do Gol 1.0 um tapa de piroca mole na cara dos brasileiros. Eu acho 30 mil reais um preço bem justo pra falar a verdade.

  14. Te contar que nem é TÃO caro assim, mesmo no Brasil.

    Comprei um bem parecido com esse, no visual, para o meu primeiro filho, uns 6 anos atrás. Elétrico, um lugar apenas, ao invés de dois, e com um bônus: Controle Remoto !

    Sim, o pequeno, que, obviamente, ao não saber nem andar ainda, não saberia usá-lo, somente se sentava e eu, à distância, com controle remoto, dirigia o veículo com ele para todos os lados. Ela amava.

    Se a mamória não me trai, paguei uns 400 ou 500 reais na época. Não é exatamente barato, mas levando em consideração o tanto de diversão que ele nos deu, acho que foi um bopm investimento.

    Quando meu filho cresceu, passou a comandar o carro ele mesmo (o caro tem controles próprios, uma chave muda de controle remoto para controle do piloto) e, posteriormente, levei em uma loja de reforma de brinquedos, para melhorar o motor, uma vez que meu filho começou a ficar muito pesado para o brinquedo.

    Boa caçada.

    J.J.

  15. Pô, também tive essa mesma versão “low budget pé rapado” que você! E uma outra que não sei se era imitação de algum modelo de verdade, além de uma moto do Senninha e adorava todos!
    Vai ficar mó legal essa foto dos Izzy com seus veículos.

  16. Meu sobrinho ganhou um mini Mini Cooper. Pior que o moleque faz pose no conversível, braço na janela, mao na marcha.. kkkkkkkk

  17. Cara, eu acho que um dia compro um carrinho desses é pra mim mesmo. FOda-se meu futuro filho, uma parada dessa seria legal demais nem que fosse só pra ficar encostado num canto de enfeite! Se um dia um gurizinho vier, empresto pra ele se ele tirar boas notas na escola hahaha

  18. Izzy eu também sempre quis ter um carrinho assim e sempre pensei em dar um para meu filho como forma de superar a frustração de não ter um rsrs.

  19. Izzy, se vai comprar um carro, considerando que onde você mora tem mais neve que semen em filme porno, te sugiro comprar um AWD como um subaru impreza. Claro, se você puder sustentar dois veículos, mesmo que um deles seja só para o inverno (“winter beater” é o termo nos EUA, creio), melhor, mas é bom ter um AWD (ou um 4WD, se curtes uma picape).

  20. O seu ainda tinha pedais, o que eu tinha era só um retângulo pintado de azul com um assento de plástico e um volante semi-inútil.A criança tinha que usar as pernas pra mover o carrinho, estilo Os Flintstones, e você pode imaginar o quão difícil era fazer isso sentado.Ainda assim, era um dos brinquedos mais divertidos que eu tinha.
    Isso também me fez lembrar daquele filme que passava na Sessão da Tarde com tanta frequência quanto A Lagoa Azul: Os Trombadinhas (The Little Rascals).Pelo pouco que eu consigo me lembrar, as crianças do filme montam um carrinho desse tipo pra competirem numa corrida que tem mais pro final do filme.
    Bons tempos, coisas boas…

  21. porque não um Challenger 2013, Izzy? Aposto que o preço deve ser igualmente um tapa de piroca mole na cara do Brasileiro médio.

  22. Meu amigo ja teve um desses, eu sempre andava com ele, e ele era um péssimo piloto, até ja capotou comigo uma vez subindo na calçada hahaha

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *