Top 5 Megaestruturas da Cultura Pop

Aê, turma. Viu como não demorara TANTO assim entre um post de verdade e outro? O que vocês acharam desse novo método de atualização do HBD? Entenderam agora que o foco não era exatamente notícias nerds, e sim textos mais curtos e menos exigentes? Deixe sua opinião aí nos comentários.

Enquanto isso, hoje temos um Top 5 com um bônus.

Em agosto de 1994 a revista Superinteressante trouxe uma reportagem sobre prédios hipotéticos que mediriam quilômetros de altura. Tá quase invisível nessa minúscula imagem que eu arranjei, mas dá pra ler – é a chamada “Cidade Vertical”, no canto inferior esquerdo da capa.

(Agradecimentos ao Nelson Antunes Filho, leitor do HBD que me arrumou um scan bem melhor da parada. A única outra imagem que eu encontrei era imprestável. Foi só mencionar no twitter a dificuldade de encontrar a imagem, que uma boa alma se prontifica a ajudar. Brigadão, Nelson!)

Lembra dessa edição? Eu lembro, porque sempre foi a minha favorita (aliás, vale mencionar que acesso a revistas brasileiras é uma das coisas que mais sinto falta morando aqui).

Uma das idéias por trás das imensas construções era contornar o problema da super população, mais uma das milhares de catástrofe globais que não se concretizou no tempo em que os analistas previam. E olha que nem tivemos uma grande guerra recente pra equalizar a densidade demográfica. Cientistas geopolíticos, vocês não têm desculpa.

A reportagem trazia um monte de imagens computadorizadas mostrando vários aspectos dos prédios, junto com uma escala comparando sua altura àquela de monumentos já existentes – e tornando-os minúsculos em comparação -, o que tornava a idéia ainda mais impressionante. Foi uma reportagem bastante interessante, ainda que meio fantasiosa. Um prédio com QUATRO quilômetros de altura? Peraí, né. Aí já tão aloprando.

Super-estruturas não são um conceito arquitetônico recente, já que vem da década 60. O propósito era duplo na verdade: reduzir o impacto humano no ecossistema global concentrando essa gente toda num só ponto, e estabelecer um ambiente isolado e auto-suficiente que servisse como modelo prático da colonização estelar. E nas décadas mais recentes, as superestruturas passaram a ser vistas como solução pra iminente superpopulação global.

Esse foi o foco principal da matéria da Super: “se não começarmos a nos amontoar em prédios tão altos que chegam a desafiar a grandeza do Criador (ver Torre de Babel, um projeto rudimentar com o mesmo propósito), daqui a pouco teremos ocupado cada centímetro quadrado deste planeta, aí estaremos lascados”.

Em ficção científica, a noção dos super-prédios é usada constantemente. Acho que é porque a idéia de uma construção tão imponente trás à mente imagens de uma sociedade muitíssimo avançada – afinal, que outro tipo de civilização seria capaz de arquitetar e construir estruturas auto-suficiente monstruosas? Nenhuma representação artística de uma civilização futurista estaria completa sem os prédios gigantescos no background.

Pensando nisso, resolvi fazer uma pesquisa sobre as mais populares superestruturas (não necessariamente apenas prédios habitacionais, embora começaremos a lista com um) a permear o mundo da ficção.

5) Arcologies (na figura, um Launch Arco)

A Launch Arco, junto com as outras três Arcos de SimCity 2000, são bons exemplos de arcologies. O termo, cujo nome é uma junção de “architecture” e “ecology”, é o princípio arquitetônico que tem como alvo a construção de estruturas habitáveis imensas, que aglomerem uma alta densidade demográfica. E a Launch Arco é um bom exemplo disso.

Lembra que a idéia por trás dos mega prédios é diminuir a influência humana no planeta? Então, o plano é que as arcologies seriam totalmente auto-suficientes, usando apenas energia renovável, e com mínima a(ou nenhuma) produção de dejetos. Um prédio “limpo”.

Todas as necessidades da vida moderna se encontrariam dentro da Arcology, eliminando a necessidade de sair dela por qualquer motivo que seja.

No entanto, a solução não lida com o problema óbvio da super-população (que é ironicamente o mesmo problema que as arcologies visam resolver). O que fazer quando uma arcology projetada pra manter cem mil habitantes ultrapassa esse número?

Talvez você esteja se perguntando por que o nome do negócio é “Launch Arco”. No jogo, se você está no ano 2051 ou depois disso, quando a 250a. Launch Arco é construída a “launch sequence” é iniciada. As Launch Arcos decolam, com rumo a planetas distantes, na missão de colonizar o espaço. Similar ao “fim” de Civilization, lembram?

No jogo, a animação das Arcos é a animação padrão de demolição, como se você tivesse selecionado o Bulldozer e clicado acidentalmente nela.

4) Mega-City One

Mega-City One é uma gigantesca cidade-país que existe no universo dos quadrinhos Judge Dredd. Por causa de uma guerra nuclear em 2070, a área ocupada pela cidade foi uma das poucas a se manter habitável e fértil.

Aí no mapa dá pra ter uma boa idéia do tamanho do negócio. Toda a área marcada aí, que vai do sul estadunidense até o o meio de Ontario, faz parte de uma imensa metrópole, dividida em Blocos. Cada Bloco é praticamente uma cidade em si mesmo, com escolas, hospitais, clínicas de aborto e lojas de sex toys. Um cidadão de Mega City One pode viver sua vida inteira sem jamais pisar fora de seu Bloco.

Mega-City One segue todas as linhas características de uma distopia futurista, incluindo a presença governamental/policial quase sufocante e o uso de punições drásticas pros crimes mais simples. Aí entra a figura dos Juízes, e se você já assistiu o filme sabe do que eu estou falando.

Na prática, estruturas como Mega City One e seus Blocos já existem. E eu tenho o privilégio de ter acesso a uma delas todos os dias. Já já explico mais sobre isso.

3) Seahaven

É estranho dizer isso de um filme que cujo protagonista é interpretado por um sujeito que atingiu fama com um filme em que ele faz um fantoche com a própria bunda, mas não há como fugir da verdade – Truman Show é um dos filmes mais inteligentes, interessantes e intrigantes da nossa geração. E é o único filme que eu consigo descrever usando 3 adjetivos que começam com INT.

Se você nunca assistiu o filme, te aconselho fortissimamente a aluga-lo. A história é essencialmente o seguinte – Truman Burbank era um bebê abandonado que foi adotado por uma produtora de TV pra ser a estrela do maior e mais ambicioso (e moralmente ambíguo) reality show da história.

Truman vive em Seahaven, que é na verdade um imenso estúdio televisivo construído atrás da icônica placa Hollywood, em Los Angeles (tentei arrumar essa imagem pro texto, mas não consegui). Dentro do estúdio, os produtores construíram uma cidade inteira, e empregaram atores que fazem o papel de conhecidos do sujeito. Todo o negócio é televisionado 24 horas por dia sem que Truman saiba.

No meio do negócio, Truman começa a notar algo estranho no mundinho em seu redor, e decide escapar dele. Os produtores do negócio, tendo o poder de manipular os eventos dentro de programa, jogam todo tipo de obstáculo separando Truman do seu objetivo de alcançar o mundo exterior.

A trama de Truman Show é tão interessante que ele é um dos poucos filmes que terminam com um final aberto a interpretações que eu gostei.

2) Rama

Uma das belezas da internet é que ela permite que você tenha ao menos um conhecimento superficial a respeito de coisas com as quais você não teve contato profundo. E o caso em questão é o livro Rendezvous with Rama (pronunciado RON-DEI-VÚ, traduzido livremente como “Encontro com Rama”. Não sei se esse é a tradução oficial).

Nunca li Rendezvous with Rama, por nunca tê-lo encontrado numa livraria. Mas desde a primeira vez que tomei conhecimento da trama do livro (através da Superinteressante, a propósito), achei a premissa simplesmente irresistivel.

Neste livro que foi o maior clássico do saudoso Arthur C. Clarke, um bólido extraterreste é detectado se aproximando do planeta terra no ano 2131. Primeiro suspeita-se que se trata de um asteróide; uma análise posterior revela que o objeto é perfeitamente cilíndrico, uma ocorrência improvável a não ser que seja um fruto de inteligência alienígena. Os cientistas dão ao objeto o nome de Rama, um deus da mitologia hindu. O motivo disso é que em 2131, astrônomos já haviam usado todas as deidades greco-romanas pra nomear corpos celestes, e começaram a emprestar as divindades menos mainstream.

Eventualmente uma missão espacial de reconhecimento é lançada em direção a Rama. Os astronautas descobrem que o objeto é oco, e que em sua cavidade existe um planeta em miniatura, completo com um mar que divide o cilindro no meio e até mesmo cidades, como pode ser visto na imagem acima.

As dimensões do negócio me impressionaram muito quando criança. Rama é descrito no livro como tendo mais de 50km de extensão, um diametro de 20, e sua “fuselagem” tinha mais de 1km de grossura.

Vou sair procurando esse livro HOJE mesmo.

1) Deathstar

Cês acharam que eu ia esquecer dela, não é? Falem a verdade!

A Estrela da Morte é provavelmente a superestrutura mais icônica na cultura popular. Fruto da imaginação de George Lucas, a Estrela é uma imensa estação espacial com poder de fogo suficiente pra condenar planetas inteiros à morte, e que nas horas livres serve como base de operação do temível Império Galático.

O que poucos não-nerds sabem é que na verdade existiram duas Deathstars – a que você vê ao lado é a segunda versão da estação, que apareceu em O Retorno de Jedi. A primeira havia sido destruída por Luke no primeiro filme. A aparência escangalhada da Deathstar II é porque ela ainda estava sob construção durante os eventos do terceiro filme. Se bem que, se você está lendo este site, você provavelmente já sabia disso.

A propósito, “Retorno de Jedi” foi uma má tradução do título, já que “The Jedi” se refere à ordem Jedi, e não ao Luke Skywalker (como a maioria interpreta o título) que na verdade não estava “retornando” de lugar algum na verdade. Até porque ele só passa a ser um Jedi no último filme, sua aparição não poderia então ser considerada “O retorno do Jedi” já que ele não era um Jedi anteriormente. O Retorno Do Moleque Que Estava Treinando Pra Se Tornar Um Jedi É Agora É Um teria sido mais apropriado.

No Universo Expandido que acontece após o Episódio VI, Luke reinstaura a ordem Jedi (que havia sido aniquilada pelo Imperador). Esse era o retorno referenciado pelo título original. O que o título realmente queria dizer é “O Retorno DOS Jedi”.

Má tradução de títulos pra português não é nenhuma novidade, vide o clássico exemplo do livro “The Physician”, de Noah Gordon, que inexplicavelmente virou “O Físico”. “Physician” significa “médico”. Enfim.

***

Essas são as cinco mais distintas superestruturas da cultura pop. Todas fictícias, claro, porém há um interesse bastante real na logística da arquitetura desse tipo de construções titânicas. E formas primitivas de algumas delas já existem no mundo real. Lembra que eu mencionei que tenho acesso a uma delas todo dia? Então. Estou me referindo ao…

0) Sistema Plus 15 de Calgary

O Diogo do Esculhambação teve a oportunidade de morar na minha cidade meses antes de eu me mudar pra cá, então ele deve ter entrado em contato com o +15 antes de mim.

O Plus 15 nada mais é que um sistema de passarelas erguidas a cinco metros do chão (o que equivale a 15 pés, dando o nome ao negócio) que conectam os prédios do centro da cidade minha cidade. O sistema se espalha por 16 quilômetros, ligando prédios residenciais, faculdades, shoppings, farmácias, livrarias, lojas de videogames, ou seja, todas as amenidades da vida moderna. O sistema é particularmente útil no inverno, já que elimina a necessidade de andar por aí sob frio de trinta graus negativos.

Os críticos do sistema o acusam de diminuir a movimentação “pedestre” no centro da cidade, o que é um argumento besta. A maior vantagem do negócio – oferecer proteção contra o frio durante o inverno, permitindo que você ande pelo centro inteiro sem sair na rua – automaticamente derrota qualquer criticismo. Isso sem contar na segurança proporcionada pelo sistema; ao invés de andar pelo meio da rua durante à noite, você transita dentro de prédios com câmeras de vigilância e seguranças.

Isso pra não mencionar a economia de tempo, já que você pode chegar ao seu destino cortando caminho pelos vários prédios que ficam no meio da sua trajetória.

Pra você ter uma noção da extensão do negócio, se liga nessa imagem:

As áreas vermelhas representam os prédios interligados pelas passarelas. Boa parte do centro da cidade está coberta pelo sistema, e a receptividade do negócio garante que muitas adições aparecerão no futuro. Tenho um amigo no trabalho que, nas folgas do horário de almoço, sai desbravando as +15 pra encontrar lugares novos pra comer.

Há alguns meses eu estava indo pra uma boate com conhecidos brasileiros. Fazia -5 graus com vento, e apesar de descermos do trem a mais de 6 quarteirões de distância, o único momento que passamos na rua foi ao sair de um shopping e atravessar a rua pra chegar à boate.

Se eu morasse no centro, só pisaria na rua pra descer até a calçada e entrar no trabalho.

Isso é, até conectarem o tribunal ao sistema Plus 15.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

96 comments

  1. sim cara, o truman show é muito foda, ele o o clube da luta são os únicos DVDs que eu tenho em mídia física(talvez por que eu seja pobre e murrinha). E lembrando que o filme é de 98, numa época que reality shows ainda nem eram febre como hoje em dia.

  2. “No jogo, se você está no ano 2051 ou depois disso, quando a 250a. Launch Arco é construída a “launch sequence” é iniciada.”

    “O Retorno Do Moleque Que Estava Treinando Pra Se Tornar Um Jedi É Agora É Um”

    Achei esses dois trechos aí um pouco confusos, parece que faltou palavras e/ou tem palavras a mais…

    No mais, ficou bacana.

  3. Essa idéia de uma cidade integrada ainda está bem distanta dessa minha querida Fortaleza, vide o fato de que até hoje não “termos” conseguido nem mesmo terminar o Metrofor que parece pelo tempo que está levando, ser algum monumento cujo tecnologia ainda não foi alcançada pela humanidade. Um simples sistema de metrô.

  4. Hum
    Bem interessante esse Plus 15.
    Aqui em São Paulo tem umas áreas que são tensas.
    Moema por exemplo, o que mais tem por lá é prédio. E não param de construir mais…
    As 7 -- 8 horas é impossível andar de carro la… a pé você vai bem mais rápido.

  5. Nem sabia q as Launch Archos decolavam em 2051, bem q eu estranhava o nome! Se bem q nem lembro de ter contruído archologies no Simcity 2000, nem ter tido paciência de jogar incansavelmente em uma cidade. Começava a zoar, dando terremotos e tal, além de códigos pra dinheiro pra fazer merda. Mal teno paciência pra jogar Civ3 e 4 até o fim e nunca construi a merda da espaçonave, o negócio e aniquilação total por meios militares, preferêncialmente sem nukes, na raça!
    Bem lembrado de Judge Dredd, só vi o filme.
    Truman Show tem uma profundidade dramática muito boa mostrando q bons comediantes são excelentes atores dramáticos em geral. Mas aquele domo é impossivel de fazer!
    Rama, wtf? Ñ lembro desse livro, e q imagem é essa q vc usou?
    Realmente Deathstar ñ podia faltar, tmb tem a cidade-planeta Coruscan(ou algo assim, surtem!) capital da República/Império q aparece nos episódios 1-3.
    Esse plus15 é essecial nesse inverno, te algumas “skyways” em outras cidades pelo mundo, mas nada tão extenso até onde sei. Minha mãe falou q em quebec tem umas extensões dos sistemas de metro com mall inteiros abaixo do nível da rua, com clarabóias pra deixar entrar luz do sol, algo assim! Isso q ela viu na década de 80…kkk…e nóis aqui se fodendo!

  6. @Elis Bastani

    Caminhão grande em cidade é cagada, devia ser proibido, principalmente em cidades maiores, ainda mais em cidades desorganizadas como em São Paulo. Coisa mais precaria! Na Europa tem cidade q só entra caminhões pequenos ou no máximo uma van. Pobreza esses monstros poluidores na cidade destruindo asfalto.

  7. Truman Show, para mim, é um dos filmes mais ph0d4sticos que já fizeram. Gosto muito, mas muito mesmo! Quantas horas que já passei refletindo sobre o filme, e teorias ali inseridas.

    Inclusive assisti de novo esse mês, e tentei (frustradamente) procurar comentários e opiniões sobre o filme na internet. Interessante ver que você compartilha (de novo) de opiniões semelhantes a minha.

    Btw, muito bom esse +15. Daqui a 1 ano e meio vou poder pisar num desses 🙂

    Valeu, belo post.

  8. Ai, Truman Show é um excelente filme mesmo, tirou aquela fama do Jim Carey fazer só comédias… agora essas plataformas ai nem iam dar certo no Brasil hahahaha ia ter reforma agraria com objetivo de separar as plataformas para pessoas morarem ou iriam cobrar pedágio para passar por elas..

  9. Sistema Plus 15 de Calgary -- isso já foi tem de reportagem televisiva aqui no BR, não lembro exatamente qual programa, mas foi da Globo (eca). Realmente é bastante interessante.

  10. Já houve algum problema dentro do 15+, tipo desmoronamento de concreto ou infiltração de neve/chuva?

    E se eu já sou um cagão de andar na ponte que conecta duas avenidas daqui imagina nesse troço. Sim, paranóico ao extremo.

  11. ontem de noite o dan tambem virou pra mim ele falou que a minha megaestrutura tava doendo crecendo dentro do bumbum dele

  12. 40 o/
    Aqui no Rio o mais próximo desse tal *15 são as passarelas. Mas elas não são seguras, só ligam um lado da rua ao outro e nem do frio protegem.

  13. “O teor cômico dos posts estão diminuindo, Kid, larga de ser um menino culto e volte a falar merda.”
    [3]

    Sim Kid entendi sua proposta de posts curtos 🙂

  14. Se eu me mudar para o Canadá um dia tenha certeza que você será o responsável direto por essa minha decisão, esse conceito da 15+ é muito louco.
    Me deu uma vontade anormal de jogar sim city agora, eu nunca consegui jogar aquilo direito, a população nunca ficava feliz, mas mesmo assim deu vontade.

  15. “O teor cômico dos posts estão diminuindo, Kid, larga de ser um menino culto e volte a falar merda.”
    [2]

    Mesmo assim ótimos pontos xD
    fods mesmo o filme Truman Show ;~~

  16. @Cab
    Onde?
    O único que eu conheço é oq ue liga a Livraria Cultura com o Shoppingzinho fubeca lá do lado o_o

    @Texto
    Realmente, Truman Show me fez minha paranóico por 2 dias até desencanar disso, mas eu era bem menro quando vi pela 1ª vez ):

  17. Puta gafe, troquei o nome do Diogo. Vou consertar quando chegar em casa. E valeu pelo print Furlan, colocarei no texto mais tarde.

  18. @Valmir

    Salvador também estão construindo metro há 8 anos. E nem um trecho ainda funcional. João Pessoa não tem metro, mas mesmo a cidade sendo pequena, criaram terminais de integração, que são terminais de onibus que você pode pegar um onibus free. Veja na wikipedia http://pt.wikipedia.org/wiki/Terminal_de_Integra%C3%A7%C3%A3o_do_Varadouro

    O que gostava em Salvador, eram as passarelas, principalmente na região do Iguatemi (que eu andava direto por causa do trabalho), é o mais próximo das +15 (apesar de ser uma comparação bem exagerada, afinal eram pontos da cidade e não prédios que eram interligados).

    Truman’s Show eu nunca vi, pois apesar de considerar um boa idéia de roteiro, sempre pensei que fosse mal executado, pelo visto estive errada. Vou procurar.

    @Kid
    Você leu The City and the Stars de Clarke? Leia, nem que seja para saber da cidade de Diaspar (a trama é excelente).

  19. O Retorno do Jedi é uma falha da tradução? Cara, eu sempre entendi que o Jedi que retorna era o Darth Vader/Anakin, e não o Luke. Essa explicação inclusive cheguei a ver em um texto em inglês. E se for no plural então se refere aos dois Skywalkers, já que não tem mais nenhum outro jedi na episódio 3 (o Yoda morre mesmo).

    Enfim, vou jogar Sim City. 😛

    Aqui em Fortaleza se fosse fazer um Plus15 que fosse um de toldos gigantes cobrindo a cidade, já que se faz sol vira um inferno e se chove vira o caos!!!

  20. Nossa.
    Deve ser muito legal esse +15. *-*
    E o “Truman Show” é muito bom mesmo.

    Muito bom o texto Kid. Parabéns. /o/

  21. Bastante interessante esse texto! Serviu até pra matar um pouquinho a saudade, já que eu também já tive essa revista Superinteressante mencionada no post.

    Só faltou dar uma menção honrosa pra “Auréola-Biosfera” do jogo Halo. Na minha opinião ela também é uma das estruturas mais inusitadas que já bolaram pra uma ficção.

    Vlw Quide, gostei do post.

  22. comentário total off-topic (msm pq vi as fotos da festinha só agora…)

    mas… a menina da oitava foto é a hannah montana???
    hahahahahahah, é mto parecida…

  23. Fui na livraria do shopping e nada, no sistema deles informa que estão esgotados a maioria dos livros, e outros só por encomenda e olhe lá….

  24. Kid,

    Falemos sério. Em todo post seu alguém pede o das patricinhas intercambistas nos comentários,eu inclusa.

    Afinal de contas, essas “moças” existiram mesmo ou não? Se forem mais uma lenda urbana,assume aí, não vamos deixar de te amar por causa disso.

    Assim paramos de esperar e de te encher o saco.

    = )

  25. Valeu, graças à esse post descobri qual era o suposto “final secreto” de Sin City 2000 (mentira, alguém já tinha me informado).

    Eu também tinha essa SuperInteressante, era assinante e adorava a revista. E saiba q vc não está perdendo nada ao não poder ler a Super atual, que está uma bosta. Virou coletânea de curiosidades pra adolescentes + capa com tema polêmico do mes.

  26. Essa idéia do Truman Show foi utilizada em um episódio de Fairly OddParents… hahaha “Timmy TV” hahaha
    muito engraçado

  27. essa foto da rama quase fritou meu cérebro…

    n entendi picas nenhumas…

    mas o texto ficou massa, ainda fico impressionado com a sua paciência d epesquisar os itens pra esses posts de top5+

  28. Ótimo texto kid!

    O novo formato ta bem legal também, gostei muito!

    Mas vim aqui pra fazer um pedido… será que no proximo HBDCast dá pra abordar o mais novo Hit da internet? Isso mesmo… o esperadíssimo, Diablo III que foi finalmente anunciado? Ficaria eternamente grato se o proximo podcast falasse bastaaaante sobre ele. ^^

    Abraços

  29. No Rio eu me recordo no momento de dois lugares com coisas semelhantes.

    Uma fica em Niterói:
    http://maps.google.com.br/?ie=UTF8&ll=-22.896166,-43.123795&spn=0.003528,0.004678&t=h&z=18

    Conectando o Plaza Shopping com uma Loja no quarteirão ao lado. A passarela corta a rua Quinze de Novembro.

    A segunda estrutura seria na Barra da Tijuca:
    http://maps.google.com.br/?ie=UTF8&ll=-22.997755,-43.354937&spn=0.007052,0.009356&t=h&z=17

    Conecta o Barra Shopping ao Centro Empresarial do mesmo shopping. A passarela (bem extensa por sinal) cruza a Av. Luiz Carlos Prestes.

    Teria uma terceira que liga os dois prédios do jornal O Globo, no Centro do Rio, mas não é permitida a passagem de tranzeuntes, náo vale.

  30. Porra, simplesmente TODO MUNDO que comentou sobre o Truman’s Show disse que é foda. Parabéns, conseguiram me influenciar. Verei-o agora.

  31. Uma ótima idéia o Plus 15 , porém não acho que seria uma idéia que desse certo por aqui no Brasil. Além de não termos prédios suficientes, tem a questão da segurança pública, pois não iria permitir que qualquer pessoa fosse entrar nos prédios. Sem falar que estas passarelas virariam abrigos para os sem-teto e pichadores.

  32. Caraca… Acho que vou ali na livraria ver se acho esse livro… Ah, sabe qual a vantagem de morar bem no meio do brasil(Goiania)? que o pessoal é bem culturado mesmo a cidade tendo “só” 1 milhão e poucos mil habitantes e dá pra achar um monte de livro bom… saindo do trampo vou lá mesmo!!!

    Ah, vale mencionar anime? me lembro que o Gundam Seed tem aquela colonia cilindrica, proposta por Gerard K. O’Neill.

    Segue o link pra wikipedia:
    http://en.wikipedia.org/wiki/O%27Neill_Cylinder

  33. Ae, Quide. Só um off topic aqui de leve, faço minhas as palavras do Milhouse. Diablo III era (e ainda é) bastante esperado. Seria um excelente assunto pro próximo HBDCast.

    Ou então, caso você já tenha comprado, seria interessante fazer um review de Metal Gear Solid 4, seja no HBDCast ou aqui mesmo, na forma de um post! Você já comprou? Jogou? O que achou dele?

    Sugestão dada… ^^

  34. legal essa matéria, mas esse lance do retorno do jedi foi precipitado. O retorno é realmente do jedi e esse jedi é Anakin Skywalker ou Darth Vader, se trata da transformação do Lord Sith em mestre jedi esse é o retorno.
    Belesss

  35. Se ainda não leu Encontro com Rama, vai procurar um pra ler AGORA MESMO. Livro fodástico, realmente a obra-prima do Clark.
    Se a imagem de Rama já é chocante, é porque você ainda não leu as descrições dos personagens do ambiente em volta deles, logo após entrarem em Rama. Coisa de maluco.

  36. hahaha nossa, muito legal esse post, realmente essas estruturas são provavelmente as top 5 da Cultura Pop, belas escolhas 😀

  37. Kid,

    “Físico” é médico em português antigo. O livro é sobre um médico medieval, o que explica a escolha. Dicionário nunca atrapalha.

  38. Cara, ‘encontro com Rama’ é horrível!!!! oO
    Um dos piores livros q li na época em q estava interessada em ficção científica =P

    pS: Só p constar, o melhor foi ‘FUNDAÇÃO’, do Asimov… até hj sonho em encontrar a continuação =x

  39. love robots in normal, esp gundam mobile suit. Gundam is genuinely a piece of arts, why do they appear so detail. Japanese are sure amazing.

  40. love robots in common, esp japanese gundam. Gundam is really a piece of arts, why do they appear so detail. Japanese are certain wonderful.

  41. Mangá Blame!…
    Não por nada que chamam aquilo de “a megaestrutura”.
    A humanidade foi praticamente dizimada, os poucos que restam, juntamente com outras várias criaturas cyberpunks, vivem em uma estrutura imensa, vertical, dividade em “andares”, que se mantém em contínuo crescimento (há seres que vivem para construir mais e mais). Arte sensacional, vale a pena conferir.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *