Hbdia
  • Feed do Hbdia
  • Twitter
  • Youtube

[ Vídeos da semana ] Jennifer Lawrence, 1984, e placa do YouTube!

Postado em 8 September 2014 Escrito por Izzy Nobre 6 Comentários

Olá moçada! De boa na lagoa? Suave na nave? Sussa na montanha russa? Temos uma nossa seção aqui no Hoje é um Bundinha.

Toda semana — preferivelmente no domingo, mas ontem eu estava cansado demais de viagem DÁ UM DESCONTO PORRA — escreverei um post resumindo os vídeos que soltei durante a semana.

O que rola é o seguinte: há um tempo, eu usava um serviço de automatização pra postar um textos aqui no HBD sempre que eu jogasse um novos vídeo no YouTube. Eu tinha desativado o texto automático que o IFTTT postava aqui porque como era automatizado, tinha uma aparência muito… bem, automática. Era muito genérico, e com exceção de remédios, tudo genérico é uma bosta.

Era útil, sim, mas eu não tava gostando muito daquela natureza pasteurizada dos textos automáticos. Escrever um texto específico (e que complemente) pra CADA vídeo seria o ideal, mas lembrando que eu também tenho um emprego “de verdade”, nem sempre me sobra tempo pra isso. Pensei em fazer um novo formato então: um texto dominguístico resumindo os 3 vídeos da semana.

O próximo vai ser no domingo, pra sair junto com a newsletter que também atrasou essa semana (comentei que viajei, né) então fique ligado!

Jennifer Lawrence “caiu na net”?

Neste vídeo, explico a situação do The Fappening — incluindo como alguns punheteiros que saíram catando as fotos na web talvez tenham MUITO com o que se preocupar.

Você já leu 1984?

Dizer que 1984 é um dos mais importantes e influentes trabalhos literários do século XX é chover no molhado, então me observe falando isso por seis minutos.

Muito obrigado, galera!

Graças aos inscritos do meu canal, ganhei uma plaquinha de prata que — na excelente comparação do Patrão Felipe Aguiar, é meio que análogo àqueles discos de prata/ouro/platina que o Gugu dava pros artistas. Por onde andará o Maurício Manieri, aliás?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Deixe sua opinião aí. Você não tá fazendo nada mesmo!

comments

Categorias: vlogs

About Izzy Nobre

Oi! Eu sou o autor desta pocilga. Tenho 32 anos, também sou conhecido como "Kid", e moro no Canadá há 13 anos. Geralmente perco meu tempo na internet atualizando este blog, batendo papo no twitter, produzindo vídeos para o youtube, e conversando sobre videogames antigos no podcast 99 Vidas, e sobre notícias bizarras n'O MELHOR PODCAST DO BRASIL. Se você gostou deste texto, venha me dizer um alô! Adoro conversar com os leitores :)

6 Comentários \o/

  1. Vinícius Martarello says:

    Excelente comparação com a plaquinha do Youtube e os discos de ouro.

  2. Neto says:

    Tão bom quanto o livro 1984, é o filme dirigido por Michael Radford. Achei bem fiel, mantendo constantemente um clima de tensão. Tem outra versão de 1956. As 2 estão no youtube!

  3. Matt says:

    O livro não me convenceu. O cara tenta fazer uma crítica real e não entende como o mundo funciona. É um faz-de-contas que serve mais pra lhe deixar com medo de uma realidade impossível. Eu escreveria uma crítica mais longa, mas já fizeram isso:

    “Orwell’s totalitarian government is an unsustainable one. As history has shown us, when you’re a mass-murdering douche canoe like Stalin, you don’t breed a whole lot of friends—and the power structures start to collapse. The reality of totalitarian rule is more dangerous. It is not a spy network and party purges that allow you to remain in power. It is converting people—honestly converting them, not just causing them to fear you enough that they obey—because converting them allows you to sit back while the population governs itself.

    Plus, it’s expensive to spy on everyone, collect and analyze that information, chase down everyone who violates your plans. And in Orwell’s 1984, the evil government is thorough. Quoth Winston (the book’s protagonist), “The smallest thing could give you away. A nervous tic, an unconscious look of anxiety, a habit of muttering to yourself.”

    The work’s critique is not well-grounded in reality or reason. And, unfortunately, it takes itself too seriously for readers to believe that it wasn’t meant as an actual critique. Nevertheless, the success of Orwell’s story isn’t hard to understand. Capitalist nations were terrified of communism, and Orwell was both a self-blinded proponent of the capitalist cause and an excellent fear-monger. He was, in many ways, the Rush Limbaugh of his time.”

    http://litreactor.com/columns/your-favorite-book-sucks-1984

    • Izzy Nobre says:

      A única coisa que eu acho meio surreal, ou insustentável (do ponto de vista logístico, se analisarmos a história com total realismo) é a constante modificação história do Minitrue. Num mundo inteiramente digital seria bem mais fácil, mas ficar modificando livros e jornais DIARIAMENTE é meio implausível.

      Já isso aqui:

      “The smallest thing could give you away. A nervous tic, an unconscious look of anxiety, a habit of muttering to yourself.”

      Leve em consideração que o Smith é quase um “unreliable narrator”. Ele não sabe muito sobre o que DE FATO ocorre no mundo real; aquilo podia ser mais paranóia dele.

    • Leonardo says:

      “…Orwell was both a self-blinded proponent of the capitalist cause…”

      Isso é falso.
      Orwell era Socialista.

      http://pubs.socialistreviewindex.org.uk/isj62/newsinger.htm